O que é coworking: vantagens e desvantagens

Milhares de profissionais de internet e freelancers de todos os tipos trabalham todos os dias em um desses espaços em nosso país.

Só em Ribeirão Preto existem mais de 100 lugares, mais de 500 no estado de São Paulo e mais de 1.600 no Brasil.

Estamos no meio da bolha de coworking ou ela é permanente? É feito para você? Vale a pena abrir um escritório de coworking como negócio?

Ultimamente a palavra coworking tem sido muito ouvida no Brasil. Em cada cidade, novos espaços se abrem e cada vez mais gente fala na possibilidade de montar um. De acordo com o estudo anual da revista de referência de coworking DeskMag , no Brasil havia 1.660 vagas no início de setembro.

O que é coworking?

Os escritórios de coworking de Ribeirão Preto são escritórios compartilhados onde freelancers, teletrabalhadores e empresários se encontram para trabalhar, e onde os gerentes de espaço tentam se conectar e criar oportunidades profissionais e pessoais entre e para seus membros. A maior parte destes são profissionais que não precisam de mais do que um portátil, um telefone e uma boa ligação à Internet para poderem realizar o seu trabalho: programadores, designers, gestores de comunidades online, jornalistas, representantes comerciais, consultores …

O grande diferencial deste espaço singular no que diz respeito aos centros de negócios e aos clássicos escritórios partilhados é a figura do gestor, a pessoa que trabalha a tempo inteiro para que os membros se conheçam melhor e gerem um clima de confiança e dinâmica de colaboração isso vai acelerar as oportunidades de emprego e ajudar.

Trabalhar em um escritório de coworking é como trabalhar em uma empresa, mas em vez de ter colegas em departamentos diferentes (com a bagunça usual de escaladas e facas nas costas) você está cercado por profissionais com diferentes habilidades, interesses e redes de contatos. São como colegas de trabalho, só que em vez de pertencerem a outro departamento, estão em outra empresa. Em um escritório de coworking, ninguém é obrigado a compartilhar, todos trabalhamos por conta própria, mas não estamos sozinhos. Compartilhamos o que queremos e com quem queremos.

Coworking é, em essência, uma evolução do trabalho colaborativo. O conceito nasceu em São Francisco em 2005 devido a mudanças na economia. Como seres humanos, somos sociais; e nossa economia é cada vez mais social, com mais contatos, com mais interações. Graças à evolução da internet, estamos mais produtivos do que nunca. Uma única pessoa é capaz de fazer o trabalho que uma empresa costumava fazer.

Há trabalho, mas cada vez menos empregos: as grandes empresas têm cada vez mais reduzido o pessoal e terceirizado muitos dos setores de sua produção. Existem cada vez mais multinacionais de uma única pessoa. Pequenas equipes podem competir com grandes empresas. Devido a estas mudanças e às necessidades de novos microempresas e freelancers, é justamente por isso que se verifica a atual explosão do coworking: responde a uma necessidade que até agora não era coberta pelo mercado.

Para quem está fazendo coworking?

Se procura flexibilidade, um ambiente de trabalho profissional e preços razoáveis, o coworking pode ser uma boa ideia para si. Os utilizadores dos escritórios de coworking são na sua maioria freelancers e empresários, profissionais do conhecimento para os quais o seu computador e telefone são suficientes para realizar o seu trabalho profissional e que procuram algo mais do que uma cadeira, uma mesa e uma ligação à Internet. do dia a gente já tem isso em casa, e acima de tudo está pago.

O que não temos em casa? A oportunidade de estar com outros profissionais para trabalhar, que nos tornam mais produtivos e nos ajudam a focar melhor. Algo mais? A difícil, ou quase impossível, opção de separar a vida profissional da pessoal, com todas as desvantagens que isso acarreta. Mais? Um ambiente de troca e colaboração onde podemos encontrar facilmente alguém com quem responder a uma pergunta, lançar um novo projeto, investir num negócio.

Vantagem

Flexibilidade de uso. Os escritórios de coworking oferecem planos diferentes de acordo com os horários de que você precisa e, além disso, não costumam exigir contratos longos (na maioria, você pode ficar um único mês se quiser).

Espaço próprio. Eles fornecem um espaço de trabalho profissional que o motiva e o torna mais produtivo. Eles possuem salas de reuniões para receber clientes e fazer apresentações.

Sem interferência. É mais fácil conseguir uma rotina de trabalho profissional.

Mais relacionamentos. Os gerentes de escritório de coworking trabalham ativamente para criar relacionamentos entre colegas de trabalho e contatos externos e, assim, descobrir oportunidades.

Melhores redes. Você aumenta sua rede de contatos sem esforço, apenas conversando com outros colegas de trabalho durante o almoço, café ou em qualquer evento.

No seu momento. A conciliação entre trabalho, família e vida pessoal melhora.

Desvantagens

Muito barulho? Se você está acostumado a trabalhar em silêncio absoluto, pode parecer que sim. Em qualquer caso, não mais do que em um escritório onde também haja outras pessoas trabalhando com você. Um bom truque: os capacetes. Com música ou sem ela. Eles o ajudarão a se concentrar melhor e impedirão que outras pessoas conversem com você.

Silêncio monástico? Se eles trabalharem tão silenciosamente em seu espaço compartilhado em ribeirão preto quanto em uma biblioteca, pode ser desconfortável para você quebrar o silêncio para fazer ligações.

Abençoada solidão? Se você trabalha melhor sem nenhuma empresa, isso pode não ser o seu lugar; pelo menos em um plano de tempo integral. Você terá que valorizar ir para um menor, um dia por semana. Por exemplo.

Não existem segredos. Obviamente, você perde privacidade em suas ligações. Mesmo que os outros estejam fazendo o que eles querem, eles podem ouvi-lo. Se você tiver uma conversa que requer discrição, pode fazer sua chamada fora da área comum em uma sala de reuniões que não esteja ocupada.

O coworking é para você?

A melhor maneira de ver se ele foi realmente feito para você é testando. Uma vez que esta é uma nova forma de trabalhar, você deve experimentá-la. Você pode aproveitar os dias de teste gratuito para visitar diferentes espaços, conversar com membros e ver por si mesmo se você acha que você e aquele espaço se encaixam bem.

A maioria das dúvidas e questões que surgem antes de começar a usar um escritório de coworking se resolvem sozinhas quando você chega lá. E se assim não fosse, é sempre mais fácil criá-los pessoalmente e, aliás, ver se há um sentimento com os demais colegas de trabalho e com os gestores do espaço.

Experimente em diferentes espaços, mas sempre se abra para as pessoas como se fosse ficar. A vantagem do coworking é que você pode pertencer a vários ao mesmo tempo, e assim aproveitar ao máximo as redes de cada um e, claro, agregar valor como conector entre eles. Quem semeia, geralmente colhe. E você nunca sabe onde pode encontrar essas pessoas novamente: melhor, conheça-as agora.

O que procurar ao procurar um escritório de coworking?

A primeira coisa é fazer uma busca por espaços na sua área ou cidade. Com a palavra coworking mais o nome da sua cidade em um mecanismo de busca, uma lista de espaços que se autodenominam coworking aparecerá.

Se a busca for diretamente no Google Maps, menos vão aparecer porque nem todos os espaços foram cadastrados, mas você pode ter uma ideia melhor de onde estão e como chegar lá. Observe, acima de tudo, as recomendações e críticas de outros usuários. O Foursquare é um bom lugar para ver fotos que outras pessoas tiraram, não apenas proprietários de coworking. Ele lhe dará uma aproximação sobre quais são seus interesses e o ambiente que existe.

Mas, para o bem ou para o mal, cabe a você verificar se eles são realmente escritórios de coworking ou apenas escritórios compartilhados e espaços de trabalho abertos. O coworking não é apenas um espaço físico: se não há quem se encarregue de conectar e criar oportunidades entre os membros, não é um escritório de coworking.

Visite seus sites e dê uma olhada em seus blogs e páginas de membros, talvez você até conheça alguém. Estude os objetivos que oferecem e as suas condições (duração do contrato, preços, horários, planos …) para ver qual deles melhor se adapta às suas necessidades. O preço não é o mais importante, mesmo que conte. É mais importante considerar qual deles lhe dá mais valor pelo tipo de pessoa que trabalha lá, pelo ambiente, por como seus clientes se sentirão quando o encontrarem lá.

E, por fim, vá trabalhar em um daqueles dias que mais lhe interessam. Assim que passar algumas horas por lá, você vai apreciar melhor as características da comunidade e se o que aquele espaço lhe oferece como um todo é interessante ou não. Certifique-se de que é mais do que um escritório com mesas e cadeiras, que haja alguém trabalhando ativamente para fazer o coworking funcionar, pergunte por essa pessoa e apresente-se.

E o investimento?

Surpreendentemente, o dinheiro é pouco; pelo menos quando comparamos com o que custa alugar um escritório tradicional ou uma noite de hotel. Os preços variam muito dependendo de onde estão localizados. O mais caro que vi foi de R$ 700 por pessoa em São Paulo.

Existem também escritórios de coworking gratuitos (administrados principalmente por instituições públicas) que oferecem essa vantagem, e também a desvantagem de que tendem a ficar em um mero espaço aberto onde você depende da sorte de ter outro colega de trabalho conector para criar uma comunidade. Se não houver e você quiser trabalhar lá, deve ser você.

O coworking vale a pena como negócio?

Abrir um escritório de coworking é o mesmo que iniciar qualquer outro negócio: você tem que gerar mais receitas do que despesas. Isso depende da capacidade dos empresários de alcançar os clientes, de sua capacidade de ajustar o preço do aluguel do espaço e do valor que colocam em seus colegas de trabalho. Em suma, sua expertise em fidelizar seus clientes por muito tempo.

Um coworking é uma pequena empresa que pode pagar salários justos e ter lucro. Quando começar a pensar nisso, faça primeiro os números para ter certeza de que o lugar que você tem em mente e o investimento exigido pelas condições necessárias que vão surgindo permitem que você o torne sustentável. Na minha opinião, são necessários pelo menos 30 empregos para ser um negócio interessante.

Ao contrário do que alguns possam pensar, não é um negócio imobiliário para usar. O espaço físico não é o único fator a considerar. A comunidade de membros é fundamental e para que funcione é preciso trabalhar, embora nem todos estejam dispostos a fazê-lo. Já visitei dezenas de escritórios de coworking na Europa e nos Estados Unidos e cada um deles é diferente fisicamente, mas são todos semelhantes em termos de relacionamento entre os membros.

Antes de lançar para abrir um espaço, é melhor começar a criar a comunidade de usuários da qual, com o tempo, os clientes acabarão saindo. Obtenha um espaço de trabalho que eles possam emprestar a você (um local, um café, um escritório desativado …) e lance eventos periódicos para conhecer seus clientes em potencial.

Aproveite as vantagens das conferências de coworking (a próxima na Espanha é em abril), para aprender sobre as melhores práticas e conversar com outros proprietários e gestores de coworking, com a experiência deles você aprenderá muito em muito pouco tempo. Ingresse em um espaço existente e viva a experiência como cliente para entender melhor o coworking.

A comunidade de coworking, tanto gerentes quanto membros, é muito aberta e disposta a colaborar. É bastante útil para filtrar sanguessugas e vendedores de fumaça. Aproveite para compartilhar e crescer como profissional e, claro, também como pessoa.

Mais em: afiliados-na-web.com/endereco-fiscal-em-ribeirao-preto-como-escolher-para-empresas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.