O que é coworking: vantagens e desvantagens

Milhares de profissionais de internet e freelancers de todos os tipos trabalham todos os dias em um desses espaços em nosso país.

Só em Ribeirão Preto existem mais de 100 lugares, mais de 500 no estado de São Paulo e mais de 1.600 no Brasil.

Estamos no meio da bolha de coworking ou ela é permanente? É feito para você? Vale a pena abrir um escritório de coworking como negócio?

Ultimamente a palavra coworking tem sido muito ouvida no Brasil. Em cada cidade, novos espaços se abrem e cada vez mais gente fala na possibilidade de montar um. De acordo com o estudo anual da revista de referência de coworking DeskMag , no Brasil havia 1.660 vagas no início de setembro.

O que é coworking?

Os escritórios de coworking de Ribeirão Preto são escritórios compartilhados onde freelancers, teletrabalhadores e empresários se encontram para trabalhar, e onde os gerentes de espaço tentam se conectar e criar oportunidades profissionais e pessoais entre e para seus membros. A maior parte destes são profissionais que não precisam de mais do que um portátil, um telefone e uma boa ligação à Internet para poderem realizar o seu trabalho: programadores, designers, gestores de comunidades online, jornalistas, representantes comerciais, consultores …

O grande diferencial deste espaço singular no que diz respeito aos centros de negócios e aos clássicos escritórios partilhados é a figura do gestor, a pessoa que trabalha a tempo inteiro para que os membros se conheçam melhor e gerem um clima de confiança e dinâmica de colaboração isso vai acelerar as oportunidades de emprego e ajudar.

Trabalhar em um escritório de coworking é como trabalhar em uma empresa, mas em vez de ter colegas em departamentos diferentes (com a bagunça usual de escaladas e facas nas costas) você está cercado por profissionais com diferentes habilidades, interesses e redes de contatos. São como colegas de trabalho, só que em vez de pertencerem a outro departamento, estão em outra empresa. Em um escritório de coworking, ninguém é obrigado a compartilhar, todos trabalhamos por conta própria, mas não estamos sozinhos. Compartilhamos o que queremos e com quem queremos.

Coworking é, em essência, uma evolução do trabalho colaborativo. O conceito nasceu em São Francisco em 2005 devido a mudanças na economia. Como seres humanos, somos sociais; e nossa economia é cada vez mais social, com mais contatos, com mais interações. Graças à evolução da internet, estamos mais produtivos do que nunca. Uma única pessoa é capaz de fazer o trabalho que uma empresa costumava fazer.

Há trabalho, mas cada vez menos empregos: as grandes empresas têm cada vez mais reduzido o pessoal e terceirizado muitos dos setores de sua produção. Existem cada vez mais multinacionais de uma única pessoa. Pequenas equipes podem competir com grandes empresas. Devido a estas mudanças e às necessidades de novos microempresas e freelancers, é justamente por isso que se verifica a atual explosão do coworking: responde a uma necessidade que até agora não era coberta pelo mercado.

Para quem está fazendo coworking?

Se procura flexibilidade, um ambiente de trabalho profissional e preços razoáveis, o coworking pode ser uma boa ideia para si. Os utilizadores dos escritórios de coworking são na sua maioria freelancers e empresários, profissionais do conhecimento para os quais o seu computador e telefone são suficientes para realizar o seu trabalho profissional e que procuram algo mais do que uma cadeira, uma mesa e uma ligação à Internet. do dia a gente já tem isso em casa, e acima de tudo está pago.

O que não temos em casa? A oportunidade de estar com outros profissionais para trabalhar, que nos tornam mais produtivos e nos ajudam a focar melhor. Algo mais? A difícil, ou quase impossível, opção de separar a vida profissional da pessoal, com todas as desvantagens que isso acarreta. Mais? Um ambiente de troca e colaboração onde podemos encontrar facilmente alguém com quem responder a uma pergunta, lançar um novo projeto, investir num negócio.

Vantagem

Flexibilidade de uso. Os escritórios de coworking oferecem planos diferentes de acordo com os horários de que você precisa e, além disso, não costumam exigir contratos longos (na maioria, você pode ficar um único mês se quiser).

Espaço próprio. Eles fornecem um espaço de trabalho profissional que o motiva e o torna mais produtivo. Eles possuem salas de reuniões para receber clientes e fazer apresentações.

Sem interferência. É mais fácil conseguir uma rotina de trabalho profissional.

Mais relacionamentos. Os gerentes de escritório de coworking trabalham ativamente para criar relacionamentos entre colegas de trabalho e contatos externos e, assim, descobrir oportunidades.

Melhores redes. Você aumenta sua rede de contatos sem esforço, apenas conversando com outros colegas de trabalho durante o almoço, café ou em qualquer evento.

No seu momento. A conciliação entre trabalho, família e vida pessoal melhora.

Desvantagens

Muito barulho? Se você está acostumado a trabalhar em silêncio absoluto, pode parecer que sim. Em qualquer caso, não mais do que em um escritório onde também haja outras pessoas trabalhando com você. Um bom truque: os capacetes. Com música ou sem ela. Eles o ajudarão a se concentrar melhor e impedirão que outras pessoas conversem com você.

Silêncio monástico? Se eles trabalharem tão silenciosamente em seu espaço compartilhado em ribeirão preto quanto em uma biblioteca, pode ser desconfortável para você quebrar o silêncio para fazer ligações.

Abençoada solidão? Se você trabalha melhor sem nenhuma empresa, isso pode não ser o seu lugar; pelo menos em um plano de tempo integral. Você terá que valorizar ir para um menor, um dia por semana. Por exemplo.

Não existem segredos. Obviamente, você perde privacidade em suas ligações. Mesmo que os outros estejam fazendo o que eles querem, eles podem ouvi-lo. Se você tiver uma conversa que requer discrição, pode fazer sua chamada fora da área comum em uma sala de reuniões que não esteja ocupada.

O coworking é para você?

A melhor maneira de ver se ele foi realmente feito para você é testando. Uma vez que esta é uma nova forma de trabalhar, você deve experimentá-la. Você pode aproveitar os dias de teste gratuito para visitar diferentes espaços, conversar com membros e ver por si mesmo se você acha que você e aquele espaço se encaixam bem.

A maioria das dúvidas e questões que surgem antes de começar a usar um escritório de coworking se resolvem sozinhas quando você chega lá. E se assim não fosse, é sempre mais fácil criá-los pessoalmente e, aliás, ver se há um sentimento com os demais colegas de trabalho e com os gestores do espaço.

Experimente em diferentes espaços, mas sempre se abra para as pessoas como se fosse ficar. A vantagem do coworking é que você pode pertencer a vários ao mesmo tempo, e assim aproveitar ao máximo as redes de cada um e, claro, agregar valor como conector entre eles. Quem semeia, geralmente colhe. E você nunca sabe onde pode encontrar essas pessoas novamente: melhor, conheça-as agora.

O que procurar ao procurar um escritório de coworking?

A primeira coisa é fazer uma busca por espaços na sua área ou cidade. Com a palavra coworking mais o nome da sua cidade em um mecanismo de busca, uma lista de espaços que se autodenominam coworking aparecerá.

Se a busca for diretamente no Google Maps, menos vão aparecer porque nem todos os espaços foram cadastrados, mas você pode ter uma ideia melhor de onde estão e como chegar lá. Observe, acima de tudo, as recomendações e críticas de outros usuários. O Foursquare é um bom lugar para ver fotos que outras pessoas tiraram, não apenas proprietários de coworking. Ele lhe dará uma aproximação sobre quais são seus interesses e o ambiente que existe.

Mas, para o bem ou para o mal, cabe a você verificar se eles são realmente escritórios de coworking ou apenas escritórios compartilhados e espaços de trabalho abertos. O coworking não é apenas um espaço físico: se não há quem se encarregue de conectar e criar oportunidades entre os membros, não é um escritório de coworking.

Visite seus sites e dê uma olhada em seus blogs e páginas de membros, talvez você até conheça alguém. Estude os objetivos que oferecem e as suas condições (duração do contrato, preços, horários, planos …) para ver qual deles melhor se adapta às suas necessidades. O preço não é o mais importante, mesmo que conte. É mais importante considerar qual deles lhe dá mais valor pelo tipo de pessoa que trabalha lá, pelo ambiente, por como seus clientes se sentirão quando o encontrarem lá.

E, por fim, vá trabalhar em um daqueles dias que mais lhe interessam. Assim que passar algumas horas por lá, você vai apreciar melhor as características da comunidade e se o que aquele espaço lhe oferece como um todo é interessante ou não. Certifique-se de que é mais do que um escritório com mesas e cadeiras, que haja alguém trabalhando ativamente para fazer o coworking funcionar, pergunte por essa pessoa e apresente-se.

E o investimento?

Surpreendentemente, o dinheiro é pouco; pelo menos quando comparamos com o que custa alugar um escritório tradicional ou uma noite de hotel. Os preços variam muito dependendo de onde estão localizados. O mais caro que vi foi de R$ 700 por pessoa em São Paulo.

Existem também escritórios de coworking gratuitos (administrados principalmente por instituições públicas) que oferecem essa vantagem, e também a desvantagem de que tendem a ficar em um mero espaço aberto onde você depende da sorte de ter outro colega de trabalho conector para criar uma comunidade. Se não houver e você quiser trabalhar lá, deve ser você.

O coworking vale a pena como negócio?

Abrir um escritório de coworking é o mesmo que iniciar qualquer outro negócio: você tem que gerar mais receitas do que despesas. Isso depende da capacidade dos empresários de alcançar os clientes, de sua capacidade de ajustar o preço do aluguel do espaço e do valor que colocam em seus colegas de trabalho. Em suma, sua expertise em fidelizar seus clientes por muito tempo.

Um coworking é uma pequena empresa que pode pagar salários justos e ter lucro. Quando começar a pensar nisso, faça primeiro os números para ter certeza de que o lugar que você tem em mente e o investimento exigido pelas condições necessárias que vão surgindo permitem que você o torne sustentável. Na minha opinião, são necessários pelo menos 30 empregos para ser um negócio interessante.

Ao contrário do que alguns possam pensar, não é um negócio imobiliário para usar. O espaço físico não é o único fator a considerar. A comunidade de membros é fundamental e para que funcione é preciso trabalhar, embora nem todos estejam dispostos a fazê-lo. Já visitei dezenas de escritórios de coworking na Europa e nos Estados Unidos e cada um deles é diferente fisicamente, mas são todos semelhantes em termos de relacionamento entre os membros.

Antes de lançar para abrir um espaço, é melhor começar a criar a comunidade de usuários da qual, com o tempo, os clientes acabarão saindo. Obtenha um espaço de trabalho que eles possam emprestar a você (um local, um café, um escritório desativado …) e lance eventos periódicos para conhecer seus clientes em potencial.

Aproveite as vantagens das conferências de coworking (a próxima na Espanha é em abril), para aprender sobre as melhores práticas e conversar com outros proprietários e gestores de coworking, com a experiência deles você aprenderá muito em muito pouco tempo. Ingresse em um espaço existente e viva a experiência como cliente para entender melhor o coworking.

A comunidade de coworking, tanto gerentes quanto membros, é muito aberta e disposta a colaborar. É bastante útil para filtrar sanguessugas e vendedores de fumaça. Aproveite para compartilhar e crescer como profissional e, claro, também como pessoa.

Mais em: afiliados-na-web.com/endereco-fiscal-em-ribeirao-preto-como-escolher-para-empresas

Porque e como criar uma persona para seu blog

O que é uma persona?

Uma persona, basicamente, é um personagem criado pelos responsáveis pela criação de algum tipo de conteúdo de um blog ou mídia social para simular um cliente real e aumentar – talvez aumentar MUITO – as taxas de aceitação, leads e até de conversão de um determinado produto/conteúdo.

Quando se está a desenvolver um conteúdo, é muito interessante criar uma persona com as características típicas do seu público-alvo, otimizando assim este conteúdo e melhorando seus resultados.

Você ainda não tem um blog, deseja criar um mas não sabe como? Então leia: Ebook: Como criar um blog do zero

Por que criar uma persona?

Justamente porque isto vai lhe auxiliar – e muito – no desenvolvimento de conteúdo de qualidade para seu blog. Você vai conseguir descobrir aquilo que os seus visitantes estão procurando e direcionar este conteúdo a eles. As probabilidades de acertar mais com seu público-alvo através desta estratégia são incrivelmente altas, vale a pena tentar!

Como criar uma persona?

Nesta área do post vou lhes ensinar a criar a persona para seu empreendimento. As dicas a seguir foram retiradas do curso mude sua rotina, onde autor Breno ensina como criar uma persona para ganhar dinheiro através das redes sociais via celular.

Coletando informações relevantes

Reúna características físicas e mentais (psicológicas) do seu público-alvo;
Analise o tipo de conteúdo (vídeo, imagem, texto etc.) e o assunto que mais lhe interessam;

  • Procure saber os horários de pico em que a maioria dos seus clientes/leitores estão online para consumir seu conteúdo;
  • Qual o nicho que estas pessoas gostam e querem consumir conteúdo?
  • Gênero sexual e idade dessas pessoas;
  • Preocupações e inspirações;
  • Quais sites minha audiência costuma visitar?
  • Meu público-alvo está concentrado em quais redes sociais?
  • Dependendo do seu nicho de mercado, coletar mais informações que as citadas acima é interessante.

Estas informações são muito importantes para criar a sua persona, definir a personalidade e criar estratégias para melhorar seus resultados.

Você precisa saber o que estas pessoas estão procurando no seu mercado de atuação, para planejar a persona mais coerente possível com o perfil do seu público e acertar no conteúdo.

Reunindo as informações para criar a persona
Após coletar todas as informações acima, vamos reuni-las para detalhar o perfil do nosso potencial cliente.

  • Defina um nome para sua persona, caso seja de mais de um gênero, é considerável criar uma para cada gênero;
  • Defina quais produtos/serviços ela precisa;
  • Qual a renda e a quantia disponível que podem pagar por seu produto/serviço;
  • Quanto tempo passam na frente do computador por dia (qual parte deste tempo é reservada para estudar? E para trabalhar? E para lazer?);

Enfim, existem infinitas coisas para se adicionar a uma persona, nesta parte você tem que pôr sua criatividade em prática e criar um personagem de acordo com as necessidades do seu blog.

Conclusão

Depois de saber o que é e porque é importante ter uma persona para seu blog, deixo uma dica: se possível, transforme estes dados em um infográfico, irá facilitar o seu entendimento e o entendimento alheio, caso você resolva mostrar para outras pessoas.

Vantagens e desvantagens de se alugar um imóvel

Para muitas pessoas, possuir uma casa é a realização do sonho, já para outros, é o pior pesadelo deles que envolve vender Consórcio e muito mais. 

Comprar uma casa é uma das maiores decisões financeiras que você tomará em sua vida. Portanto, antes de decidir comprar, considere cuidadosamente os prós e os contras da casa própria.

Quando você pensa em comprar uma casa, muitas perguntas vêm à sua mente. Eu realmente preciso comprar uma casa? Minha renda vai crescer? Vou ficar em uma casa por tempo suficiente para se beneficiar da compra? Tenho dinheiro suficiente economizado? Estou pronto para a responsabilidade? 

Comprar uma casa é uma grande jogada financeira, por isso é prudente olhar com atenção para os aspectos positivos e negativos. As informações abaixo ajudarão você a examinar os prós e os contras de ter uma casa, com base em seus desejos pessoais, planos futuros e posição financeira geral.

Vantagens de alugar uma casa

Algumas das vantagens venda de consórcio e alugar uma casa são, conforme indicações da Consórcio na Web – Compra e Venda de Cotas de Consórcios:

  • O aluguel oferece mais flexibilidade e liberdade. Você pode tomar uma decisão rápida de se mudar, especialmente se tiver um contrato mensal.
  • Você não é responsável por manter a área alugada. Você pode informar o seu senhorio, e ele fará todos os reparos e manutenção para você.
  • Alugar pode ser mais barato do que possuir uma casa. Além disso, como você não está pagando a conta de reparos ou manutenção, você sabe exatamente quanto gastará no final do mês.
  • Se você trabalha ou viaja com frequência, então alugar uma casa ou apartamento é a melhor decisão, pois você não precisará se sobrecarregar com a responsabilidade de manter a propriedade.

Viu, como usar o dinheiro de vender consórcio não contemplado para alugar um imóvel pode ser sim vantajoso.

Desvantagens de alugar uma casa

Algumas das principais desvantagens de alugar uma casa são:

  • O dinheiro não cresce: você não recebe nenhum retorno sobre a propriedade que alguém está alugando. O verdadeiro beneficiário é o dono da casa que ganha uma renda.
  • Problema de manutenção: Talvez você precise se esforçar para concluir os reparos em tempo hábil
  • Renovação do contrato de locação: Não há garantia de que o contrato de locação será renovado. A renovação de um contrato de locação também pode levar a um aumento não planejado da locação e fazer com que você tenha que vender consórcio em andamento.
  • Restrição: Não se pode renovar uma propriedade de acordo com seus requisitos. Além disso, também existem restrições impostas a uma propriedade de aluguel, pois muitos proprietários de apartamentos não permitem animais de estimação em suas propriedades.

Agora se você está em busca de uma empresa confiável, para a venda de consórcio em andamento para alugar um imóvel, você pode contar com a Consorcio na Web. A empresa fica localizada no endereço: Praça Dr. Sampaio Vidal, 265 – 6º andar – Sala 65 – São Paulo – SP – Vila Formosa – CEP: 03356-060. Você pode entrar em contato pelo telefone: (11) 2785-1845, com toda certeza eles podem te ajudar!

Quatro maneiras incríveis de obter mais crédito

Se existe um segmento da sociedade que tem maiores problemas para acessar uma linha de financiamento, essa é a das pessoas que ainda têm um crédito em vigor, ou seja, não o amortizaram. Mas se você precisar de mais dinheiro, você pode expandi-lo. Como?

Fonte imagem: Cartão de crédito

Este artigo descreve as opções mais inovadoras para obter mais crédito: de plataformas financeiras ou empréstimos alternativos a financiamento entre indivíduos.

A necessidade de ampliar a linha de crédito já atribuída leva os clientes a tentar explorar novas formas de financiamento, algumas delas convincentes e até originais.

Uma vez concedido um empréstimo, será muito mais difícil estendê-lo e até mesmo subscrever outro financiamento paralelo. Aqueles que, além disso, não tiverem uma folha de pagamento fixa, terão dificuldade de obter acesso a outros empréstimos, uma vez que o aumento do crédito não será garantido por um saldo saudável da conta corrente. Mas existem fontes alternativas de financiamento para aumentar o crédito? A resposta é sim e, às vezes, com resultados muito originais.

Plataformas Financeiras

Essas entidades financeiras não exigirão que seus reclamantes estejam livres de qualquer crédito contratado com bancos tradicionais. Afinal, o que eles buscam é que o retorno de seus microcréditos seja exercido em seus termos correspondentes.

De qualquer forma, serão valores muito limitados, que não ultrapassarão 1000 reais e com taxas de juros muito mais expansivas, acima de 25%. Os prazos de amortização são muito rígidos, pois variam entre um e três meses como limite máximo.

Expandir o crédito atual

Se você não estiver cumprindo os termos de seu crédito atual, será muito difícil para o banco aumentar seu valor. Para isso, é essencial negociar um novo período de amortização, que se tornará mais extenso e flexível quando for formalizado.

Pelo contrário, esta medida poderia implicar uma variação substancial nas taxas de juros que foram aplicadas até aquele momento. Será uma questão de negociar o caminho certo com a instituição financeira e obtê-la com as melhores condições de contratação.

Financiamento entre indivíduos

Se a busca por outras opções de financiamento através dos bancos não for viável, nem todas serão perdidas. Será sempre um recurso para os indivíduos obterem uma ponta de liquidez na conta corrente e seguros com melhores interesses, uma vez que são normalmente vendidos entre 6% e 8%.

Em contrapartida, os recursos que serão obtidos através deste sistema inovador serão menores (até cerca de 10 mil reais) e, em qualquer caso, são frequentemente direcionados para financiar projetos empresariais.

Créditos alternativos

Empréstimos alternativos ou empréstimos privados são produtos baseados no financiamento de atividades muito específicas.

Eles não são concedidos por entidades bancárias, mas são concedidos por instituições privadas. Mas se você não é um estudante que esgotou sua bolsa de estudos, concessão e outras opções, será difícil obtê-las.

Não é em vão que é este setor juvenil que está se beneficiando nos últimos meses de maiores propostas sob essas características.

Esta a procura empresas que fazem empréstimo pessoal com restrição?
Se esta endividado e precisa de fazer um empréstimo e não consegue porque o seu nome esta no spc e Serasa, eu tenho uma boa notícia para você.

Esse Guia tem ajudado muitas pessoas a sair do vermelho, pagar empréstimos e sair das dívidas. Mesmo com o nome sujo.

Como saber a operação da conta?

Já se deparou com a situação de não saber o código banco na hora da transferência bancária? Ou então sequer sabe o que é esse código? Nesse texto vamos explicar tudo o que você precisa saber para realizar transferências sem empecilhos.

Afinal, o que é código banco?

Você precisa pagar alguém e na hora da transferência estava solicitando o código banco, mas você não sabia o que era esse tal de código. Bom, o código banco é o número da operação da conta, ou seja, o número que identifica para qual banco você está querendo transferir o dinheiro.

Cada banco possui seu próprio número, o qual foi determinado pelo Banco Central quando o mesmo percebeu que as instituições bancárias estavam crescendo e se expandindo. Dessa forma, podemos encarar esse código como o número do RG do banco, é um código único de três dígitos para um único banco.

Esse código só é solicitado quando a transação bancária é feita de um banco para outro, ou seja, se você quiser transferir, por exemplo, da Caixa para o Santander.

Onde encontro o código banco?

Já sabemos que para realizar um TED ou DOC para outra instituição bancária, é necessário informar o código banco, mas como saber qual o código?

Quando você for transferir via aplicativo ou internet o campo a preencher irá disponibilizar uma lista completa na qual você poderá encontrar o banco que procura junto com seu respectivo código. Caso você não encontre na lista, provavelmente será pelo motivo de que a instituição buscada não possui o código COMPE, que é esse código de três dígitos ao qual estamos nos referindo.

Caso o número não seja informado, você terá que buscar pelo código ISPB dele no próprio aplicativo ou meio que estiver usando, se houver a opção, ou então realizar uma busca rápida na internet. O ISPB é basicamente a mesma coisa, porém seu código é formado por oito dígitos, o qual também corresponde à identificação do banco, apenas não é tão utilizado como o outro.

Lista de código banco COMPE e ISPB

Com a expansão do mercado financeiro, muitas instituições bancárias acabam surgindo com cada vez mais novas tecnologias e facilidades. A seguir disponibilizamos uma lista sobre os principais bancos, físicos e digitais, e seus respectivos códigos COMPE e ISPB.

  • Banco Santander: 033 ou 90400888
  • Banco Bradesco: 237 ou 60746948
  • Banco do Brasil: 001 ou 00000000
  • Banco Itaú – 341 ou 60701190
  • Nubank: 260 ou 18236120
  • Citibank: 745 ou 33479023

Os 4 maiores bancos do Brasil

Os maiores bancos do Brasil são assim considerados não apenas pelo seu lucro e capital, mas também pela presença, importância no mercado e crescimento.

Tudo isso, é claro, reflete na receita de cada banco, além disso valorizam outros pontos, como por exemplo suas ações na bolsa de valores.

Nesse texto vamos te apresentar os 4 maiores bancos do Brasil e os dados apresentado por cada um no ano de 2019.

Itaú: 1º colocado entre os bancos do Brasil

O Itaú é uma multinacional criada no Brasil que hoje conta com mais de 50 milhões de clientes distribuídos nas mais de 4900 agência por todo o Brasil e pelo mundo, ainda oferece 47000 caixas eletrônicos e conta com o trabalho de 99.661 colaboradores.

NO ano de 2018 o lucro líquido do banco foi de 25,7 bilhões de reais e o patrimônio líquido do Itaú está estimado em 119,8 bilhões de reais.

Banco do Brasil:

O Banco do Brasil foi o primeiro banco criado no Brasil, por isso é considerado um dos principais bancos do Brasil.

O Banco do Brasil hoje tem presença em diversos países europeus e da América e conta com 96.889 funcionários.

São mais de 52,7 milhões de clientes distribuídos em 4722 agências, o Banco do Brasil trabalha com um plano para tornar seus processos online e por isso tem bem menos agências que outros grandes bancos do Brasil.

Bradesco:

O BRadesco é um banco brasileiro que hoje dispõe de agências espalhadas por todo o Brasil e também internacionalmente, conta com 99.792 funcionários para atender seus mais de 24 milhões de clientes

O lucro líquido do banco no terceiro trimestre de 2019 foi de 6,5 bilhões de reais. O crescimento do Bradesco está justamente relacionado com o avanço nos serviços online e na criação de novas contas digitais.

Caixa Econômica federal:

A Caixa Econômica Federal é um banco com ligação direta com o governo e projetos sociais, mas além disso oferece todas as atividades tradicionais referentes aos serviços bancários.

Hoje a Caixa conta com 84 952 funcionários distribuídos entre as mais de 4200 agências presentes em todo o Brasil.

São mais de 95 milhões de correntistas e um lucro líquido de 8 bilhões de reais no terceiro semestre de 2019.

Assim como os demais bancos do Brasil, a Caixa vem investindo cada vez mais em contas e processos digitais, tudo para atrair e fidelizar seus correntistas.

           

Máquina de cartão: conheça as máquinas com menores taxas

Nos dias de hoje, se você tem um negócio, algo essencial é trabalhar com diversas formas de pagamento. Afinal, você não pode perder vendas por não aceitar uma forma de pagamento que o cliente possui. Com o intuito de te ajudar a aceitar as mais variadas formas de pagamentos possíveis, nós vamos te mostrar as máquinas de cartão disponíveis no mercado e destacar aquelas que possuem menores taxas.

Conheça as máquinas de cartão com menores taxas

Atualmente, são muitas as empresas que oferecem o serviço de máquina de cartão. E existem empresas que vendem as máquinas e não é necessário o pagamento de aluguel das mesmas, você compra e a máquina de cartão é sua. Porém, o que você precisa avaliar ao adquirir uma dessas máquinas, são as taxas referentes as vendas realizadas. Separamos algumas opções para que você possa avaliar de acordo com o tamanho do seu negócio, veja a seguir e compare:

SumUp Top

A maquininha SumUp Top é ideal para pequenos negócios. Ela funciona via internet móvel ou wi-fi. A máquina aceita as principais bandeiras de cartões, mas não é recomendada para estabelecimentos alimentícios, pois, não aceita os cartões vale refeição.

Valor de compra: R$ 68,40

Taxas para vendas no débito: 2,3%, com recebimento entre 1 a 2 dias.

Taxas para vendas no crédito: 3,1%, com recebimento em até 30 dias.

Antecipação de recebimento do crédito: 4,6%, com recebimento em 1 dia útil.

Minizinha PagSeguro

A Minizinha é uma das opções com menores taxas. Ela funciona com apoio de um celular ou tablet conectados via internet móvel ou wi-fi. A máquina aceita os cartões refeição, ou seja, é uma ótima escolha para estabelecimentos do ramo alimentício.

Valor de compra: R$ 68,40

Taxas para vendas no débito: 1,99%,

Taxas para vendas no crédito à vista: 3,19%

Taxas para vendas no crédito parcelado: 3,7%

Máquina de cartão: 5 melhores opções do mercado

Atualmente as pessoas estão usando cada vez menos o dinheiro em célula, por questões de segurança e também praticidade, os cartões de crédito e débito caíram na graça da população, e hoje é a principal forma de pagamento.
Com esse novo cenário os donos das empresas precisaram seguir o fluxo, portanto, foram atrás da máquina de cartão, que acabam ganhando clientes quando tem a opção de pagamento.

O mercado de máquina de cartão está se ampliando cada vez mais, e com alta concorrência, é possível ter uma maquininha com taxas bem reduzidas. Para te auxiliar nessa escolha, preparamos um artigo com as melhores no mercado para você escolher a melhor para seu negócio.

Maquina de cartão do Brasil: As 5 melhores

1.      Cielo Zip

Essa máquina de cartão aceita mais de 70 de cartões e não é necessário o uso do celular. É preciso comprar a máquina, porém não há aluguel ou mensalidade

2.      Getnet Superget Compra

Não é necessário celular e não tem taxa de adesão para essa máquina de cartão, e você pode escolher entre o chip, chip 3G e Wi-Fi, o chip tem planos de dados gratuitos.

3.      Izettle

A máquina de cartão da Izettle não tem aluguel, é preciso comprar a máquina e há também as taxas de transação. Ela pode ser conectada no celular via Bluetooth.

4.      Pag Seguro Moderninha Smart

É preciso comprar essa máquina de cartão, mas ela tem 5 anos de garantia e não possui aluguel ou taxa de adesão, além disso, ainda conta com conta digital gratuita para gerenciar seu negócio e um chip 4G com plano de dados grátis.

5.      SumUp Top

A máquina de cartão SumUp Top funciona com o celular, de sistema operacional Android ou IOS, e não tem mensalidade.

Essas são as melhores opções de máquina de cartão no mercado atualmente, você também pode fazer uma simulação dessas e varias outras marcas no site do CoteCompare.

Como conseguir dinheiro para emergência sem recorrer ao empréstimo

Adquirir um empréstimo às vezes é inevitável. Seja por incidentes que estamos sujeitos a passar, seja por descuido na hora das contas, o que acaba gerando dívidas.

A grande questão, é que às vezes um empréstimo também se torna inviável. Isso porque as taxas de juros e as demais taxas aplicadas acabam sendo muito altas. Se você possui restrição no nome então, o valor total do empréstimo chega a ser quase 3 vezes maior do que o valor solicitado.

Mediante a essa situação, o que fazer para conseguir dinheiro para suprir uma determinada emergência, sem ter que necessariamente recorrer a um empréstimo com bancos ou financeiras?

Parece estranho, mas há algumas possibilidades. Veja só:

3 Formas de Conseguir Dinheiro sem fazer Empréstimo

1.    Desfazer de Bens:

A primeira delas é tentar vender algo que você tem. Um bem, seja um carro, um smartphone, um notebook. Enfim, tentar vender algo para arrecadar algum dinheiro. Essa etapa pode levar algum tempo, mas é uma ótima opção se o objetivo for quitar dívidas.

2.    Amigos e Família:

Agora, se o objetivo for um caso urgente, onde você precise levantar uma dada quantia agora, uma opção pode ser tentar emprestar de amigos e familiares. E contar o motivo que o levou a solicitar esse empréstimo familiar é a melhor forma de conseguir. Sem contar, que estará livre das taxas abusivas de juros. Seria ético devolver um percentual a mais do valor solicitado, como forma de agradecimento.

3.    Freelas:

Outra opção para levantar dinheiro sem ter que solicitar formalmente um empréstimo, seria realizar trabalhos fora do horário do seu trabalho convencional. O famoso “bico”. Ou, em outros termos, realizar freelas.

Hoje em dia, com a internet, há sites especializados nesse assunto. Você se cadastra, informa o que faz e o que está buscando e disponibiliza seu perfil. Da mesma forma, pessoas que precisam do seu serviço irão fazer uma busca no site e, se você estiver dentro do perfil, terá seu cadastro disponibilizado.

Essas são as três principais formas de conseguir dinheiro sem ter que fazer um empréstimo.

Vale lembrar que a melhor forma de manter sua vida financeira estável, é poupar. Sempre importante ter uma poupança para emergências. 

Simular consórcio: o que é consórcio e 3 formas de simular

        Muitas pessoas podem acreditar que consorcio é o mesmo que financiamento, mas não é bem assim. Entenda melhor neste texto o que é e como simular consórcio.

        Basicamente, consórcio é quando um grupo de pessoas, seja física ou jurídica, tem um interesse em comum: comprar um bem (imóvel, automóvel), mas não tem a pressa de obtê-lo em mãos imediatamente. Quem organiza esses grupos são empresas, que tornam possível o funcionamento e cobram as devidas taxas de cada contribuinte.

        A empresa repassa o número de parcelar para que todo mês algum contribuinte possa adquirir um bem. Para escolher o ganhador do mês, um sorteio é realizado e o premiado recebe uma carta de crédito que comprará o bem desejado.

Você pode simular consórcio online, rápido e fácil, de três maneiras diferentes. Confira abaixo:

1.      Banco

        Instituições financeiras bem consolidadas e de grande confiança, muitos bancos disponibilizam esse serviço. Para simular consórcio com eles, basta entrar na sua página, informar qual o objetivo do consórcio e preencher algumas informações básicas, como nome, e-mail, CPF, telefone e data de nascimento.

2.      Instituição

        São empresa desenvolvidas com esse único fim. Para simular consórcio em uma delas, basta acessar seu site e informar para qual bem deseja ter. Além disso, informar também o valor do bem e o quanto está disposto a pagar mensalmente.

3.      Outros

Empresas como a Magazine Luiza também disponibilizam o serviço de consórcio para seus clientes. Para simular consórcio com esse tipo de empresa, basta acessar a sua página e informação qual bem deseja ganhar. Em seguida, informe tipo de pessoa (física ou jurídica), nome, e-mail, telefone, estado e cidade.         Depois de realizar as três formas de simular consórcio, escolha a melhor para você, contribua