Como saber a operação da conta?

Já se deparou com a situação de não saber o código banco na hora da transferência bancária? Ou então sequer sabe o que é esse código? Nesse texto vamos explicar tudo o que você precisa saber para realizar transferências sem empecilhos.

Afinal, o que é código banco?

Você precisa pagar alguém e na hora da transferência estava solicitando o código banco, mas você não sabia o que era esse tal de código. Bom, o código banco é o número da operação da conta, ou seja, o número que identifica para qual banco você está querendo transferir o dinheiro.

Cada banco possui seu próprio número, o qual foi determinado pelo Banco Central quando o mesmo percebeu que as instituições bancárias estavam crescendo e se expandindo. Dessa forma, podemos encarar esse código como o número do RG do banco, é um código único de três dígitos para um único banco.

Esse código só é solicitado quando a transação bancária é feita de um banco para outro, ou seja, se você quiser transferir, por exemplo, da Caixa para o Santander.

Onde encontro o código banco?

Já sabemos que para realizar um TED ou DOC para outra instituição bancária, é necessário informar o código banco, mas como saber qual o código?

Quando você for transferir via aplicativo ou internet o campo a preencher irá disponibilizar uma lista completa na qual você poderá encontrar o banco que procura junto com seu respectivo código. Caso você não encontre na lista, provavelmente será pelo motivo de que a instituição buscada não possui o código COMPE, que é esse código de três dígitos ao qual estamos nos referindo.

Caso o número não seja informado, você terá que buscar pelo código ISPB dele no próprio aplicativo ou meio que estiver usando, se houver a opção, ou então realizar uma busca rápida na internet. O ISPB é basicamente a mesma coisa, porém seu código é formado por oito dígitos, o qual também corresponde à identificação do banco, apenas não é tão utilizado como o outro.

Lista de código banco COMPE e ISPB

Com a expansão do mercado financeiro, muitas instituições bancárias acabam surgindo com cada vez mais novas tecnologias e facilidades. A seguir disponibilizamos uma lista sobre os principais bancos, físicos e digitais, e seus respectivos códigos COMPE e ISPB.

  • Banco Santander: 033 ou 90400888
  • Banco Bradesco: 237 ou 60746948
  • Banco do Brasil: 001 ou 00000000
  • Banco Itaú – 341 ou 60701190
  • Nubank: 260 ou 18236120
  • Citibank: 745 ou 33479023

Os 4 maiores bancos do Brasil

Os maiores bancos do Brasil são assim considerados não apenas pelo seu lucro e capital, mas também pela presença, importância no mercado e crescimento.

Tudo isso, é claro, reflete na receita de cada banco, além disso valorizam outros pontos, como por exemplo suas ações na bolsa de valores.

Nesse texto vamos te apresentar os 4 maiores bancos do Brasil e os dados apresentado por cada um no ano de 2019.

Itaú: 1º colocado entre os bancos do Brasil

O Itaú é uma multinacional criada no Brasil que hoje conta com mais de 50 milhões de clientes distribuídos nas mais de 4900 agência por todo o Brasil e pelo mundo, ainda oferece 47000 caixas eletrônicos e conta com o trabalho de 99.661 colaboradores.

NO ano de 2018 o lucro líquido do banco foi de 25,7 bilhões de reais e o patrimônio líquido do Itaú está estimado em 119,8 bilhões de reais.

Banco do Brasil:

O Banco do Brasil foi o primeiro banco criado no Brasil, por isso é considerado um dos principais bancos do Brasil.

O Banco do Brasil hoje tem presença em diversos países europeus e da América e conta com 96.889 funcionários.

São mais de 52,7 milhões de clientes distribuídos em 4722 agências, o Banco do Brasil trabalha com um plano para tornar seus processos online e por isso tem bem menos agências que outros grandes bancos do Brasil.

Bradesco:

O BRadesco é um banco brasileiro que hoje dispõe de agências espalhadas por todo o Brasil e também internacionalmente, conta com 99.792 funcionários para atender seus mais de 24 milhões de clientes

O lucro líquido do banco no terceiro trimestre de 2019 foi de 6,5 bilhões de reais. O crescimento do Bradesco está justamente relacionado com o avanço nos serviços online e na criação de novas contas digitais.

Caixa Econômica federal:

A Caixa Econômica Federal é um banco com ligação direta com o governo e projetos sociais, mas além disso oferece todas as atividades tradicionais referentes aos serviços bancários.

Hoje a Caixa conta com 84 952 funcionários distribuídos entre as mais de 4200 agências presentes em todo o Brasil.

São mais de 95 milhões de correntistas e um lucro líquido de 8 bilhões de reais no terceiro semestre de 2019.

Assim como os demais bancos do Brasil, a Caixa vem investindo cada vez mais em contas e processos digitais, tudo para atrair e fidelizar seus correntistas.

           

hélio renato laniado fala sobre finanças pessoais

helio-laniado-doleiro

Convidamos o renomado especialista em investimentos Helio Laniado para falar da importância de  separar finanças da empresa das suas economias pessoais. Confira nosso super artigo e saiba como fazer isso da forma correta.

hélio laniado dolar

Para Hélio Renato Laniado, separar as finanças da empresa das pessoais é vital para que o negócio prospere, caso contrário, existe o risco de criar confusões no caixa, gerar dificuldades de avaliação sobre a real situação econômica da companhia e ainda ter problemas com o fisco.

Para evitar isso, segundo Helio Laniado deve-se buscar meios de isolar o que é seu do que é do empreendimento, ação essa que deve ser feita tanto em relação às receitas quanto em referência às dívidas e obrigações. A orientação vale para gestores, investidores e empreendedores que são os que costumam ter contato direto com o capital da empresa.

Adiante, explicamos como você pode fazer isso e ainda listamos algumas dicas para melhorar a gestão e o planejamento financeiro do seu negócio. Não deixe de conferir!

Qual é a importância de separar finanças da empresa das finanças pessoais

Segundo Helio Laniado, separar as finanças da empresa do que você precisa para adquirir bens, pagar contas ou mesmo do seu salário é fundamental para evitar descompassos na gestão econômica da companhia. Afinal, tirar dinheiro do bolso ou pegar recursos do caixa prejudica o empreendimento porque mascara os resultados.

Em outras palavras, essas atitudes podem passar a impressão de que ele está no azul, quando apresenta prejuízo, ou que se encontra em dificuldade econômica quando, na verdade, está gerando lucro.

Também é possível evitar a perda de controle econômico e a falta de visibilidade em relação à realidade interna dos gastos da empresa. Isso significa que, no final do mês, você saberá melhor se a empresa bateu as metas, obteve ganhos, gerou muitas despesas, etc.

Outro risco é com relação à fiscalização, já que confusões geradas por conta dessa mistura de pessoal e empresarial podem passar a impressão de que há irregularidades na companhia, como tentativas de ocultar recursos. Consequentemente, sua organização pode ser multada e ainda sofrer outras sanções previstas em lei.

Você também pode ficar impossibilitado de conseguir financiamento de terceiros com instituições financeiras ou mesmo potenciais investidores devido a incoerências nos controles e demonstrativos da sua empresa. Isso pode ocasionar a perda de oportunidades, dificuldades de expansão por falta de capital de giro e estagnação do negócio.

Qual é a forma correta de gerir o dinheiro que entra na empresa?

helio laniado doleiro

Não existe bem uma forma correta de gerir o dinheiro que entra na empresa, mas há dicas que podem ajudar a organizar as finanças e otimizar o gerenciamento de receitas e obrigações. Veja algumas:

1) Faça o controle de fluxo de caixa — esse instrumento serve para organizar as entradas e saídas de valores no seu negócio;

2) Monte reservas financeiras — lembre-se de juntar fundos em momentos de prosperidade para que você consiga superar com mais facilidade as dificuldades. As reservas devem ser tanto da empresa quanto pessoais, pois isso evita que você pegue dinheiro do empreendimento em um apuro;

3) Adote indicadores financeiros — esses instrumentos fornecem informações mais concretas para você basear suas decisões econômicas, uma vez que retratam, em forma de números, os resultados e o desempenho da empresa.

Como separar as contas da empresa das pessoais?

Para Hélio Renato Laniado, a primeira coisa que você pode fazer é limitar seu acesso ao caixa da organização, estipulando períodos determinados para isso. Também procure separar todos os cartões de crédito e de débito, além das contas bancárias suas e da empresa.

Essa ação é fundamental para que você consiga se disciplinar, já que é mais fácil se perder em relação ao que é seu e ao que é do empreendimento quando os meios de movimentar recursos são os mesmos.

Encarregar um ou mais funcionários de sua confiança para gerir os montantes do negócio e realizar o acesso junto a você é outra solução, já que precisará convencê-los da necessidade de tirar ou incluir uma quantia. O mesmo pode ser feito com um contador que deverá ser seu aliado, enquanto você se organiza para deixar as duas contas devidamente separadas.

Lembre-se, ainda, de adotar ferramentas de gestão financeira que otimizam o controle das finanças e facilitam a administração dos recursos da empresa. O melhor é um sistema ou aplicativo, já que planilhas podem gerar confusões à medida que aumenta o volume de dados registrados. Essa prática, inclusive, pode gerar resultados já no curto prazo, o que é algo positivo e gera motivação para manter a disciplina.

Qual é o papel do pró-labore?

Para parar de pegar o dinheiro da empresa com o objetivo de cobrir gastos pessoais, lembre-se de definir um pró-labore que atenda às suas necessidades. Esse é o nome dado ao “salário do empresário”, ou seja, o rendimento efetivo que você receberá mensalmente da sua organização pelos serviços que você presta a ela (gestão).

No entanto, seja realista e tome cuidado para não tirar mais do que a empresa é capaz de fornecer — e, por consequência, fazê-la passar por apertos financeiros. Uma dica é estipular o valor a receber com base na média que é paga no mercado para o tipo de cargo que você ocupa (normalmente de liderança).

Como se organizar financeiramente para ver a empresa crescer?

Além de seguir as dicas acima para ter dinheiro para investir na inovação e ampliação da sua empresa, é importante contar com um modo de conseguir recursos para aproveitar oportunidades de crescimento. Uma dica é o empréstimo coletivo, uma alternativa de crédito mais viável e menos custosa do que as opções tradicionais do mercado.

Ele é concedido por meio de uma plataforma tecnológica que aproxima pessoas interessadas em aplicar recursos (investidores) de empreendedores que necessitam de capital. Eles, por sua vez, podem aplicar o montante obtido em reformas em seus empreendimentos, melhorias nas instalações ou mesmo expansão das operações de suas empresas.

Além disso, busque formas de se capacitar na área, prezando por uma boa educação financeira. Também lembre-se de estabelecer objetivos e metas pessoais e empresariais. Dessa forma você poderá buscar meios para alcançá-los, o que geralmente envolve se organizar melhor economicamente e separar finanças da empresa das suas contas pessoais.


Agora que você já sabe sobre como se organizar melhor do ponto de vista econômico e consegue separar as finanças da empresa das contas pessoais, que tal descobrir qual é a importância de um fluxo de caixa para o seu negócio? Gostaram do artigo escrito pelo renomado Hélio Laniado? Então deixe logo abaixo seu comentário!

* Hélio Renato Laniado possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog Hlinvestimentos (site de educação financeira independente).

Máquina de cartão: conheça as máquinas com menores taxas

Nos dias de hoje, se você tem um negócio, algo essencial é trabalhar com diversas formas de pagamento. Afinal, você não pode perder vendas por não aceitar uma forma de pagamento que o cliente possui. Com o intuito de te ajudar a aceitar as mais variadas formas de pagamentos possíveis, nós vamos te mostrar as máquinas de cartão disponíveis no mercado e destacar aquelas que possuem menores taxas.

Conheça as máquinas de cartão com menores taxas

Atualmente, são muitas as empresas que oferecem o serviço de máquina de cartão. E existem empresas que vendem as máquinas e não é necessário o pagamento de aluguel das mesmas, você compra e a máquina de cartão é sua. Porém, o que você precisa avaliar ao adquirir uma dessas máquinas, são as taxas referentes as vendas realizadas. Separamos algumas opções para que você possa avaliar de acordo com o tamanho do seu negócio, veja a seguir e compare:

SumUp Top

A maquininha SumUp Top é ideal para pequenos negócios. Ela funciona via internet móvel ou wi-fi. A máquina aceita as principais bandeiras de cartões, mas não é recomendada para estabelecimentos alimentícios, pois, não aceita os cartões vale refeição.

Valor de compra: R$ 68,40

Taxas para vendas no débito: 2,3%, com recebimento entre 1 a 2 dias.

Taxas para vendas no crédito: 3,1%, com recebimento em até 30 dias.

Antecipação de recebimento do crédito: 4,6%, com recebimento em 1 dia útil.

Minizinha PagSeguro

A Minizinha é uma das opções com menores taxas. Ela funciona com apoio de um celular ou tablet conectados via internet móvel ou wi-fi. A máquina aceita os cartões refeição, ou seja, é uma ótima escolha para estabelecimentos do ramo alimentício.

Valor de compra: R$ 68,40

Taxas para vendas no débito: 1,99%,

Taxas para vendas no crédito à vista: 3,19%

Taxas para vendas no crédito parcelado: 3,7%

Máquina de cartão: 5 melhores opções do mercado

Atualmente as pessoas estão usando cada vez menos o dinheiro em célula, por questões de segurança e também praticidade, os cartões de crédito e débito caíram na graça da população, e hoje é a principal forma de pagamento.
Com esse novo cenário os donos das empresas precisaram seguir o fluxo, portanto, foram atrás da máquina de cartão, que acabam ganhando clientes quando tem a opção de pagamento.

O mercado de máquina de cartão está se ampliando cada vez mais, e com alta concorrência, é possível ter uma maquininha com taxas bem reduzidas. Para te auxiliar nessa escolha, preparamos um artigo com as melhores no mercado para você escolher a melhor para seu negócio.

Maquina de cartão do Brasil: As 5 melhores

1.      Cielo Zip

Essa máquina de cartão aceita mais de 70 de cartões e não é necessário o uso do celular. É preciso comprar a máquina, porém não há aluguel ou mensalidade

2.      Getnet Superget Compra

Não é necessário celular e não tem taxa de adesão para essa máquina de cartão, e você pode escolher entre o chip, chip 3G e Wi-Fi, o chip tem planos de dados gratuitos.

3.      Izettle

A máquina de cartão da Izettle não tem aluguel, é preciso comprar a máquina e há também as taxas de transação. Ela pode ser conectada no celular via Bluetooth.

4.      Pag Seguro Moderninha Smart

É preciso comprar essa máquina de cartão, mas ela tem 5 anos de garantia e não possui aluguel ou taxa de adesão, além disso, ainda conta com conta digital gratuita para gerenciar seu negócio e um chip 4G com plano de dados grátis.

5.      SumUp Top

A máquina de cartão SumUp Top funciona com o celular, de sistema operacional Android ou IOS, e não tem mensalidade.

Essas são as melhores opções de máquina de cartão no mercado atualmente, você também pode fazer uma simulação dessas e varias outras marcas no site do CoteCompare.

Como conseguir dinheiro para emergência sem recorrer ao empréstimo

Adquirir um empréstimo às vezes é inevitável. Seja por incidentes que estamos sujeitos a passar, seja por descuido na hora das contas, o que acaba gerando dívidas.

A grande questão, é que às vezes um empréstimo também se torna inviável. Isso porque as taxas de juros e as demais taxas aplicadas acabam sendo muito altas. Se você possui restrição no nome então, o valor total do empréstimo chega a ser quase 3 vezes maior do que o valor solicitado.

Mediante a essa situação, o que fazer para conseguir dinheiro para suprir uma determinada emergência, sem ter que necessariamente recorrer a um empréstimo com bancos ou financeiras?

Parece estranho, mas há algumas possibilidades. Veja só:

3 Formas de Conseguir Dinheiro sem fazer Empréstimo

1.    Desfazer de Bens:

A primeira delas é tentar vender algo que você tem. Um bem, seja um carro, um smartphone, um notebook. Enfim, tentar vender algo para arrecadar algum dinheiro. Essa etapa pode levar algum tempo, mas é uma ótima opção se o objetivo for quitar dívidas.

2.    Amigos e Família:

Agora, se o objetivo for um caso urgente, onde você precise levantar uma dada quantia agora, uma opção pode ser tentar emprestar de amigos e familiares. E contar o motivo que o levou a solicitar esse empréstimo familiar é a melhor forma de conseguir. Sem contar, que estará livre das taxas abusivas de juros. Seria ético devolver um percentual a mais do valor solicitado, como forma de agradecimento.

3.    Freelas:

Outra opção para levantar dinheiro sem ter que solicitar formalmente um empréstimo, seria realizar trabalhos fora do horário do seu trabalho convencional. O famoso “bico”. Ou, em outros termos, realizar freelas.

Hoje em dia, com a internet, há sites especializados nesse assunto. Você se cadastra, informa o que faz e o que está buscando e disponibiliza seu perfil. Da mesma forma, pessoas que precisam do seu serviço irão fazer uma busca no site e, se você estiver dentro do perfil, terá seu cadastro disponibilizado.

Essas são as três principais formas de conseguir dinheiro sem ter que fazer um empréstimo.

Vale lembrar que a melhor forma de manter sua vida financeira estável, é poupar. Sempre importante ter uma poupança para emergências. 

Simular consórcio: o que é consórcio e 3 formas de simular

        Muitas pessoas podem acreditar que consorcio é o mesmo que financiamento, mas não é bem assim. Entenda melhor neste texto o que é e como simular consórcio.

        Basicamente, consórcio é quando um grupo de pessoas, seja física ou jurídica, tem um interesse em comum: comprar um bem (imóvel, automóvel), mas não tem a pressa de obtê-lo em mãos imediatamente. Quem organiza esses grupos são empresas, que tornam possível o funcionamento e cobram as devidas taxas de cada contribuinte.

        A empresa repassa o número de parcelar para que todo mês algum contribuinte possa adquirir um bem. Para escolher o ganhador do mês, um sorteio é realizado e o premiado recebe uma carta de crédito que comprará o bem desejado.

Você pode simular consórcio online, rápido e fácil, de três maneiras diferentes. Confira abaixo:

1.      Banco

        Instituições financeiras bem consolidadas e de grande confiança, muitos bancos disponibilizam esse serviço. Para simular consórcio com eles, basta entrar na sua página, informar qual o objetivo do consórcio e preencher algumas informações básicas, como nome, e-mail, CPF, telefone e data de nascimento.

2.      Instituição

        São empresa desenvolvidas com esse único fim. Para simular consórcio em uma delas, basta acessar seu site e informar para qual bem deseja ter. Além disso, informar também o valor do bem e o quanto está disposto a pagar mensalmente.

3.      Outros

Empresas como a Magazine Luiza também disponibilizam o serviço de consórcio para seus clientes. Para simular consórcio com esse tipo de empresa, basta acessar a sua página e informação qual bem deseja ganhar. Em seguida, informe tipo de pessoa (física ou jurídica), nome, e-mail, telefone, estado e cidade.         Depois de realizar as três formas de simular consórcio, escolha a melhor para você, contribua

Simular Empréstimos: 2 Formas de simular empréstimo na internet

A internet foi e ainda é responsável por uma revolução em nossas vidas. Com ela, é possível ter acesso ao mais variado tipo de informação. Uma receita de bolo, se está chovendo do outro lado do mundo, fazer compras, e até pagar contas. 

É natural que com a popularização dessa ferramenta, cada vez mais empresas disponibilizem produtos e serviços. Os bancos e instituições financeiras são exemplos disso. 

Além de pagar contas, consultar saldos e extratos, agora também é possível simular empréstimos na internet. Mas com tantos sites, e com tantas ofertas, como saber qual a melhor maneira? Confira 2 formas de simular empréstimo na internet. 

Instituições financeiras 

Instituições financeiras são empresas supervisionadas pelo Banco Central, e autorizadas a prestar alguns serviços financeiros. Investimentos e empréstimos, por exemplo. 

As instituições financeiras geralmente disponibilizam em seus sites calculadoras de empréstimo.  Para simular o empréstimo, é necessário incluir alguns dados como valor do empréstimo, renda, quantidade de parcelas. Em poucos minutos você tem uma proposta. 

Dependendo da empresa, é possível tanto simular empréstimos como contratá-los, tudo online, de maneira rápida e simples. Em alguns casos, a contratação precisa ser feita na agência da financeira. 

Bancos Tradicionais 

Os bancos tradicionais ainda são o meio mais comum de contratar crédito. A segurança de uma instituição grande e conhecida, traz segurança para a maioria das pessoas que buscam crédito.  

Cada vez mais os bancos veem tentado simplificar seu relacionamento com o usuário. Inclusive disponibilizando ferramentas para simular empréstimos de maneira online. Assim como em algumas financeiras, em alguns casos é preciso ir na agência para formalizar o negócio. 

Apesar de ter se tornado algo muito mais acessível, antes de contratar um empréstimo, fiquei atento aos detalhes. Taxa de juros, quantidade e valor das parcelas e se será possível arcar com as prestações.  

Simular empréstimos através da internet é simples e pode poupar bastante trabalho. No entanto, antes de contratar seu empréstimo pesquise bastante, entre no site das empresas, se informe. Faça um planejamento financeiro e não esqueça de pagar em dia suas parcelas! 

Simulação de cartão de crédito: Veja como simular cartão de crédito online

Uma das soluções mais utilizadas pelo brasileiro nos dias atuais é o cartão de crédito.

Por conta da alta procura por essa solução, as empresas que a oferecem possibilitam que seja feito uma simulação de cartão de crédito de forma online.

Dessa maneira, o consumidor pode comparar as taxas e os diversos benefícios de cada cartão de crédito.

Neste artigo você irá descobrir como realizar a simulação de cartão de crédito. Confira!

Simulador cartão de crédito: sites das operadoras de cartão

O cartão de crédito é um serviço muito procurado no Brasil. Isso se deve ao fato da sua facilidade de uso, que permite que pessoas com uma renda mais baixa consigam comprar produtos e serviços que são maiores que suas rendas.

Por isso, para converter mais clientes, os sites das operadoras de cartão possuem uma área específica onde é possível realizar uma simulação de cartão de crédito

Lá é possível através de uma análise rápida no perfil do consumidor, saber o limite, os benefícios e as taxas de cada categoria de cartão.

Simulador cartão de crédito: sites comparativos de cartões

Existem sites especializados na comparação de diversos serviços na internet. Com o cartão de crédito não poderia ser diferente.

Esses sites buscam informações de cada cartão de crédito disponível no mercado e os compara, trazendo os resultados para o consumidor decidir qual a melhor opção.

De acesso gratuito, esses sites são ótimas opções para se pesquisar antes da decisão de qual cartão solicitar.

Simulador cartão de crédito: redes sociais

As redes sociais podem ser uma aliada para a simulação de cartão de crédito. Isso porque, cada vez mais as pessoas buscam informações nesse canal.

Sabendo disso, os usuários de redes sociais compartilham suas experiências nas páginas oficiais das operadoras de cartão.

Você sabia que era possível simular cartão de crédito?

EMPRÉSTIMOS PARA NEGATIVADOS: É POSSÍVEL FAZER UM EMPRÉSTIMO ESTANDO NEGATIVADO?

Uma situação que tem se tornado até comum nos dias de hoje é ver pessoas com restrições de crédito. Dados mostram que milhões de brasileiros estão com nomes ativos em órgãos como o SPC e SERASA. Além do constrangimento, uma das maiores dificuldades do devedor é ter acesso à algum crédito para fazer pagamentos de dívidas devido à restrição no mercado.

Apesar do grande número de negativados em que o país se encontra nos últimos anos, é possível sim fazer um empréstimos para negativados. Sim, algumas instituições oferecem crédito para pessoas nessa situação.

Hoje existem basicamente 3 tipos empréstimos para negativados:

1.      Empréstimo para Negativados – Consignado 

Pagamento através da folha de pagamento (se for trabalhador público) ou benefício (se for aposentado ou pensionista). O pagamento do empréstimo é debitado automaticamente, antes do salário ou benefício da pessoa cair na conta;

2.      Empréstimo para Negativados – Refinanciar Imóvel

Se a pessoa possui um imóvel já quitado, ele pode ser usado como garantia de empréstimo.

3.      Empréstimo para Negativados – Refinanciar veículo 

Se já possui automóvel quitado, ele pode ser colocado como garantia para o empréstimo.

Apesar das opções, conseguir esse tipo de crédito não é tão simples. As instituições financeiras são mais cautelosas para permitir empréstimos para negativados e geralmente fornecem crédito com juros mais altos que podem chegar até o dobro dos que são praticados em empréstimos comuns.

A primeira coisa a se fazer antes de adquirir esse tipo de empréstimo é tentar negociar as dívidas diretamente com os credores os quais se está devendo. Esse tipo de negociação pode ser mais vantajoso, pois a possibilidade de se ter desconto e parcelamentos são bem maiores e os juros geralmente são mais baixos.

Se a opção é mesmo fazer um empréstimos para negativados, vale a pena pesquisar e comparar as condições bem como as taxas e juros das instituições financeiras antes de fechar um contrato. Afinal de contas, esse tipo de empréstimo tem a finalidade de auxiliar e não de afundar o negativado em mais dívidas!