Como fazer um bom planejamento na busca de um imóvel

Quer conquistar o seu imóvel sem surpresas negativas ou arrependimentos? Então, confira algumas dicas essenciais para planejar todos os passos necessários para o seu investimento.

Para isso, é necessário, antes de mais nada, organizar o seu orçamento e definir qual tipo de propriedade você poderá comprar sem comprometer um grande percentual da sua renda. Além disso, traçar metas, estabelecer prazos e economizar dinheiro são ações fundamentais.

Uma boa forma de otimizar esses processos é apostar e uma planilha online para inserir todos os gastos fixos mensais, despesas e gastos variáveis.

Assim, fica mais fácil observar onde você poderá economizar para garantir a sua primeira casa ou apartamento próprio.

Sem dúvidas, investir em um apartamento no Ecoville é uma grande conquista que exige disponibilidade de tempo, organização e planejamento.

Siga com a gente e confira, no artigo abaixo, algumas dicas essenciais para planejar a compra do seu imóvel.

Pesquise o mercado

Após analisar o seu caixa pessoal, é hora de externar os estudos e observar a situação atual do mercado imobiliário – um setor muito impactado pelas condições políticas e econômicas do país.

Para isso, leia sobre o assunto, analise o valor do metro quadrado nos bairros do seu interesse, descubra as condições de pagamento disponíveis e cheque a reputação das instituições financeiras e construtoras.

Veja também: Técnicas para vender imóveis

Analise os meios de pagamento

Sobretudo, um dos passos cruciais na hora de comprar um imóvel é a escolha dos meios de pagamentos.

Se você conseguiu poupar dinheiro suficiente para pagar a sua nova propriedade à vista, isso é maravilhoso.

Caso este não seja o caso, procure financiá-lo com o menor número de parcelas possíveis. Além disso, é preciso destacar que a compra de um imóvel envolve várias outras taxas e impostos, e é necessário reservar um dinheiro para arcar com eles.

Se a sua escolha for comprar uma casa ou apartamento diretamente com a construtora, verifique o valor dos juros, parcelas e taxas adicionais. Nesse momento, evitar surpresas e sentir segurança nas negociações é essencial.

Escolha entre um imóvel novo ou usado

De fato, os imóveis novos e usados têm lá os seus prós e contras. Por isso, o ideal é avaliar cada um dos formatos de acordo com as suas preferências e necessidades.

Se por um lado, os condomínios modernos contam com áreas de lazer, piscinas e academias, por outro, os terrenos desse formato costumam ser menores, bem como a metragem dos apartamentos.

Em contrapartida, as construções antigas não são tão bem equipadas, mas contam com espaço amplo e maior possibilidade de reformas e instalações necessárias.

Ou seja, nesse caso, para não errar na escolha, o ideal é levar em conta o seu estilo de vida e a sua situação financeira.

Atenção à localização

Não dá para negar que a localização é um dos fatores essenciais na compra de um imóvel, isso porque, escolher um bairro seguro e conveniente pode facilitar o seu dia a dia, evitar longos deslocamentos e contribuir significativamente para a sua qualidade de vida.

Por isso, mais uma vez, observe o seu estilo de vida. Por exemplo, caso utilize o transporte público para trabalhar, pesquise sobre as linhas de ônibus e metrô da região. Caso tenha filhos pequenos, verifique a presença de escolas infantis. Se costuma andar muito a pé, observe a rede de comércio ao redor.

Analise a documentação do imóvel

Assim que escolher o imóvel que será o seu mais novo lar, não deixa a empolgação tomar conta, ao invés disso, faça uma negociação cautelosa e verifique se toda a documentação, bem como os impostos da propriedade escolhida estão em dia, principalmente, em caso de imóveis usados.

Esse processo é crucial para evitar dores de cabeça ou prejuízos futuros. Neste momento, contar com um auxílio profissional como o de um advogado ou agente imobiliário pode ser um grande facilitador.

E você, gostou de descobrir por que o planejamento é tão importante para garantir um imóvel? Se esse artigo foi útil para você, compartilhe-o em suas redes sociais.

Com certeza, essas informações podem ajudar muitas pessoas que desejam comprar um apartamento no Bigorrilho ou em qualquer outra localização.




Técnicas para vender imóveis: confira 4 dicas!

Mesmo sendo antigo e tradicional, o mercado imobiliário cresce e evolui todos os dias.

Esse fator alinhado à mudança do comportamento do consumidor, exige que cada vez mais os corretores e imobiliárias atuem com profissionalismo, além de oferecer a melhor experiência possível para seus clientes, agindo como verdadeiros consultores.

Isso porque, além da concorrência ser extremamente alta, o valor necessário para comprar um imóvel também não é baixo.

Com isso, o marketing imobiliário está ligado diretamente ao marketing de relacionamento, para que imobiliária e cliente tenham uma relação de confiança e duradoura.

Contudo, além da confiança, as vendas são essenciais para a sobrevivência do negócio e elas podem se tornar difíceis em diversos casos, sendo necessário criar novas estratégias para facilitar a venda de seus imóveis e alavancar seu negócio. Quer saber quais são elas? Então continue lendo esse post.

1. Crie uma relação de confiança com seu cliente

Conhecida também como “rapport” com origem francesa, criar uma relação de confiança com seu cliente é essencial, como já falado.

Aqui, é necessário utilizar métodos para auxiliar no desenvolvimento de um relacionamento com confiança, empatia e harmonia entre você e seu cliente, criando assim uma conexão duradoura.

Com isso, você consegue conduzir esse relacionamento com maior segurança e de forma certeira para fechar o negócio. Isso porque, além de sua imobiliária oferecer opções que se encaixem exatamente com o perfil do cliente, ele ainda irá te enxergar com alguém confiável para realizar a compra.

Isso facilita todo o processo, visto que você não precisa querer convencer o cliente da compra a todo momento e inclusive ele pode indicar sua imobiliária para outras pessoas.

2. Conheça os produtos que está oferecendo

Por mais óbvio que possa parecer, muitos corretores não conhecem totalmente seu produto, ou seja, os imóveis.

É extremamente necessário ter todas as informações em mente para responder todas as perguntas do comprador com segurança e mostrar que sua empresa realmente entende sobre o assunto.

Portanto, algo simples pode se tornar um grande diferencial entre os concorrentes.

Tanto a imobiliária quanto o corretor devem conhecer a fundo todos os imóveis disponíveis em sua carteira, se atentando a detalhes como qualidade e histórico da construção, localização, características da região, possibilidade de reformas no local, informações sobre a negociação, documentação necessária, valorização do imóvel, etc.

Sabemos que isso pode ser difícil, mas a dica aqui é realizar então uma visita prévia para coletar todas essas informações antes de levar o cliente ao imóvel.

3. Aposte nas redes sociais

As redes sociais são poderosas quando o assunto é venda, mas devem ser usadas com cuidado e sabedoria. O primeiro passo é criar conteúdos relevantes, de qualidade e que gerem valor para seu público-alvo.

Então não, você não vai postar fotos de casas ou apartamentos que está vendendo e seu valor na legenda. Independente da rede social, seja Instagram, Facebook ou LinkedIn, é preciso mostrar que você é autoridade no assunto e sabe exatamente o que está falando.

Por isso, seus posts devem ser voltados para as dores, dúvidas, medos e curiosidades de seu público, buscando solucionar todos os problemas que passam ou já passaram, como dúvidas sobre financiamento, documentação, tipo de imóvel, etc. Ao gerar valor para ele, em uma futura compra é sua empresa que será lembrada.

Contudo, marketing de conteúdo e tráfego devem caminhar sempre juntos. Por isso, invista em anúncios patrocinados, visto que podem oferecer um grande retorno para seu negócio.

Isso porque, seu poder de segmentação é gigante, fazendo com que você atinja as pessoas certas e de acordo com o tipo de imóvel.

Você pode segmentar por faixa etária, sexo, localização, interesses, gostos e atrair um público extremamente qualificado para seu anúncio, aumentando muito a chance de venda.

Além disso, é possível analisar todos os resultados e avaliar qual o retorno obtido.

4. Seja um facilitador para seu cliente

É imprescindível que você seja acessível ao cliente, ou seja, estar disponível para ele de todas as formas e pelo máximo de tempo possível. Isso porque, estar presente e demonstrar que se importa com seu cliente pode fazer toda a diferença para ele decidir fechar ou não o negócio.

Sendo assim, a comunicação deve ser prioridade para sua imobiliária.

A tecnologia deve ser sempre utilizada a seu favor, visto que oferece diversos recursos para facilitar a comunicação, como WhatsApp, redes sociais, chatbots e até mesmo portais de imóveis, que funcionam como catálogos online e que estão disponíveis 24 horas por dia para seus clientes.

Portanto, com essas técnicas e dicas além de aumentar suas vendas, você ainda vai se tornar autoridade no ramo imobiliário. É muito importante lembrar que esse conjunto não irá promover resultados de um dia para o outro, o modo mais rápido é por meio dos anúncios.

Contudo, para realmente colher bons frutos, a estratégia deve ser testada e otimizada sempre que ver necessidade, além de manter a constância na criação dos conteúdos.

Por que seu site deve ser responsivo?

Atualmente, ter um site responsivo vai além de uma estratégia para se destacar no mundo virtual. É uma questão de necessidade.

Isso porque o número de dispositivos móveis cresce exponencialmente em todo o mundo. 

Só o Brasil já conta com dois aparelhos digitais por habitante e mais de 230 milhões de smartphones, segundo uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV – SP).

Além disso, mais de 71 milhões de brasileiros acessam a internet somente pelos celulares.

Por isso, desconsiderar a presença de dispositivos móveis como canais de acesso é algo extremamente prejudicial para as páginas da web, em especial, para sites comerciais.

Diante desse cenário, resolvemos apresentar o porquê seu site deve ser responsivo.

Quer saber mais? Então, acompanhe a leitura!

Mas, afinal, o que é um site responsivo?

Imagine que você está procurando uma creche para idoso na internet, com a intenção de obter mais informações sobre os estabelecimentos disponíveis na sua cidade. Em um deles, você conseguiu acesso fácil pelo celular, com uma navegação fluida e rápida.

Em outro, a disposição dos elementos dificultou a leitura, além de ter imagens pesadas de difícil carregamento.

Na situação retratada acima, qual seria o site que você passaria mais tempo? Com certeza, o primeiro.

É justamente essa ideia que rodeia os demais usuários, especialmente quando utilizam a internet pelos dispositivos móveis. Daí a importância de ter um site responsivo.

A responsividade diz respeito à construção inteligente de uma página web, que é projetada e adaptada para qualquer tipo de resolução (telas maiores e menores), sem distorções dos elementos do site.

Para isso, usamos o design responsivo, que identifica a largura de cada aparelho e, assim, consegue determinar a quantidade de espaço que pode ser aproveitado, ajustando os tamanhos das imagens, das fontes, entre outros. Tudo isso, sem perder a qualidade.

Quer dizer que, ao entrar em um site responsivo de buffet de massas italianas, você consegue visualizar as fotos dos pratos, bem como navegar pela página facilmente, mesmo em um celular de tela pequena.

E quais as vantagens de ter um site responsivo?

Agora que você já entendeu como o site responsivo funciona, está na hora de saber o porquê da necessidade de investir nesse tipo de tecnologia.

Em primeiro lugar, vale reiterar, novamente, a quantidade de dispositivos móveis no mundo. Fora o número de pessoas que usam somente os smartphones para ter acesso à internet.

Mas, temos outros pontos positivos da responsividade. Confira abaixo!

1 – Melhora a experiência do usuário

Quando procuramos por algo on-line, como um piso laminado de madeira, queremos ser bem informados e ter uma boa experiência de busca. 

O site responsivo proporciona justamente isso, já que oferece conforto durante a navegabilidade do usuário.

Para as empresas, isso é ótimo, uma vez que a experiência do cliente influencia na tomada de decisão, aumentando as chances de venda.

Entre outras questões relacionadas à experiência, temos:

  • Aumento no número de leads (potenciais clientes);
  • Maior reconhecimento no mundo digital;
  • Menor taxa de desistência (usuário permanece no site);
  • Crescimento no número de clientes satisfeitos.

Vale dizer que, a experiência positiva é responsável pela conversão de 67% em vendas de produtos ou serviços.

2 – Melhora o rankeamento no Google

Pare por um minuto e pense: se você está buscando por envelopamento automotivo prata, onde fará a busca na internet? É bem provável que seja no Google.

Afinal de contas, o buscador é considerado um dos gigantes da internet, com o processamento de milhões de pesquisas todos os dias.

Cerca de 93% dos usuários busca encontrar algo pelo Google. Portanto, é fundamental que você esteja entre os primeiros resultados.

Com um site responsivo a sua classificação fica muito melhor, já que o algoritmo do Google leva em consideração a experiência do internauta, inclusive quanto à navegabilidade em uma página da web.

3 – Aumento nas vendas

O aumento nas vendas está diretamente relacionado com os outros pontos citados acima.

Afinal, se temos uma boa experiência e reconhecimento no Google, ganhamos a confiança do público, que se sente mais seguro em fechar negócio.

Para os sites corporativos e lojas virtuais, isso é ótimo, visto que o aumento de vendas proporciona maior lucratividade e rentabilidade.

Conclusão

Há muitas outras vantagens em ter um site responsivo. Por isso, se você ainda não adaptou a sua página web, coloque isso em prática o mais rápido possível.

O número de aparelhos mobile só tende a crescer e, diante disso, dá para entender a importância da responsividade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Qual a diferença entre e-mail marketing e newsletter

O e-mail marketing e a newsletter são duas estratégias do marketing digital muito importantes para as empresas.

É por meio delas que as marcas mantêm contato com seus clientes e potenciais clientes, criando um vínculo com eles e estreitando seu relacionamento.

No entanto, muitas empresas ainda confundem o e-mail marketing com a newsletter, e essa confusão pode estragar tudo na hora de colocá-las em prática.

Para que isso não aconteça mais, neste artigo, vamos definir e-mail marketing e newsletter e qual é a diferença entre eles, para que possam ser corretamente usados.

O que é e-mail marketing?

E-mail marketing é uma estratégia de marketing digital que tem como base a comunicação entre uma empresa e seus clientes ou potenciais clientes via e-mail.

Para usá-lo da maneira certa, o disparo de e-mail é feito a partir de uma segmentação dos contatos por meio de ferramentas. Essas ferramentas personalizam as mensagens.

As empresas podem usar o e-mail marketing para diversos fins, sempre de acordo com o interesse do cliente ou potencial cliente. Dentre os usos mais comuns estão:

  • Ofertas;
  • Promoções;
  • Confirmação de compra;
  • Dicas.

Antigamente, o e-mail marketing era muito mal visto por empresas de todos os setores, pois era considerado uma versão digital de propagandas bem invasiva.

Por causa disso, passou a ser considerado comunicação em massa, emitindo mensagens nada relevantes para quem as recebia.

Com a evolução das estratégias em marketing digital e a popularização da internet, hoje o e-mail marketing é considerado uma das melhores estratégias.

O que é newsletter?

Newsletter é uma publicação fixa emitida pelas empresas aos seus clientes e potenciais clientes. E assim como jornais e revistas, ela também possui periodicidade.

Além disso, a newsletter pode ter formato de jornal ou revista, ser impressa, mas o mais comum é que ela seja enviada por e-mail.

Exatamente por ser enviada por e-mail, muitas pessoas a confundem com e-mail marketing. 

No entanto, se uma confeitaria envia uma newsletter para seu cliente, ela estará focada na produção de conteúdo sobre assuntos como salgados para festa de criança.

Tal intenção está mais focada no relacionamento com o cliente do que propriamente nas vendas, como no caso do e-mail marketing. E existem outras diferenças.

Diferenças entre newsletter e e-mail marketing

O e-mail marketing pode ser considerado uma ferramenta incisiva que tem a intenção de impactar quem recebe a mensagem. 

Além disso, é uma maneira de atrair o público para o site, estimular downloads, mostrar novidades, entre outros.

Em comparação com a newsletter, uma casa de repouso idoso a utiliza para engajar a sua audiência. No caso do e-mail marketing, ela pode utilizá-lo mais com a intenção de divulgar seus serviços e oferecer promoções.

Dentre as principais vantagens do e-mail marketing está o baixo custo, retorno imediato e grande alcance.

Já a newsletter pode até ser considerada uma variação do e-mail marketing. A diferença é que ela é mais informativa e enviada periodicamente.

Quando uma gráfica de impressão de tags envia uma newsletter, tem como principal intenção manter uma boa relação com seu público.

Esse formato traz muitos benefícios porque é bem informativo e ajuda a manter os leitores engajados e mais envolvidos com a marca.

A partir do uso dessa estratégia, cria-se um vínculo maior com o consumidor, aumentando a abrangência da marca, estabelecendo um relacionamento com o cliente e potencial cliente.

A newsletter também pode ser enviada por e-mail, mas isso não a classifica como e-mail marketing, pois a intenção dele é mais comercial do que a newsletter.

Mesmo assim, uma fabricante de guarda corpo para laje terá excelentes resultados com ambas as estratégias. Bastando apenas aplicá-las corretamente.

O marketing digital trouxe inúmeras possibilidades diferentes para as empresas apostarem no relacionamento com seus consumidores. E duas das principais são o e-mail marketing e a newsletter.

O fato é que é importante usar essas estratégias, tendo em vista que o consumidor está quase 24 horas por dia conectado. Isso tem quase anulado muitas estratégias de relacionamento com o cliente que não sejam pela internet.

Portanto, para aquelas empresas que querem crescer, nada mais eficiente do que investir na comunicação via e-mail e no envio de newsletter.

As duas opções são viáveis, não exigem muito investimento e possibilitam um canal exclusivo para a marca se destacar, que nenhum outro oferece. 

O e-mail marketing e a newsletter são estratégias simples que fazem toda a diferença.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Dicas simples para entrar no mercado de programação

Neste artigo, vamos te dar algumas dicas rápidas te ajudarão a entender como funciona o universo da programação. Sem dúvida, será um excelente começo para quem quer ser um desenvolvedor profissional em pouco tempo.

Projetar softwares para computadores e dispositivos móveis é uma habilidade que necessita de dedicação e muito empenho, principalmente se o seu objetivo é se tornar-se um grande profissional.

Sem falar que, a área de tecnologia em programação é cheia de oportunidades para quem deseja começar. Por isso, nós destacamos algumas dicas que vão te ajudar a entrar no mercado de programação.

Estude pelo menos uma hora por dia

Se você não está na área de desenvolvimento, não há problema.

Mesmo que você tenha uma rotina difícil durante a semana, você pode ao menos, reservar uma hora por dia para se dedicar apenas aos seus estudos de programação. E quando eu falo estudo, eu digo: estudar e praticar.

O horário de estudo pode ser antes de ir para o trabalho ou faculdade, no horário de almoço ou uma hora antes de dormir.

Acredite: você aprenderá muito ao longo da semana.

Procure um conteúdo de autoridade

Não pense que você será um desenvolvedor excepcional se continuar a buscar conteúdos aleatórios em sites ou no YouTube.

É fundamental que você siga um conteúdo bem estruturado e de preferência que tenha sido feito por uma autoridade no assunto.

Por exemplo, quando o assunto é PHP, podemos identificar a Danki Code como um excelente curso de desenvolvimento em PHP.

Não tenha medo de cometer alguns erros

Quando se é desenvolvedor, é comum que nossa lógica não esteja perfeita ou, inclusive, que a gente cometa alguns erros durante nosso desenvolvimento.

O mais importante é aprender com nossos próprios erros. Por isso, aceite que você irá errar e aprenda com eles.

Não se limite ao conteúdo que está consumindo

Seguir tutoriais de cursos e livros é fundamental.

Afinal, ter um caminho estruturado é excelente. No entanto, o que realmente te fará pensar como um programador de verdade é procurar novos desafios, além dos já realizados durante o exercício.

É uma excelente maneira de pensar fora da caixa, e assim, aprender mais.

Faça amizade com outros desenvolvedores

É uma maneira de realizar networking e entender quais são as exigências do mercado.

Você poderá trocar muitas experiências com desenvolvedores, principalmente os mais experientes. Você conhecerá a rotina diária, técnicas de codificação e também técnicas de produtividade.

É possível não apenas conhecer as últimas novidades do mercado, mas também saber antecipadamente quais são as oportunidades de emprego ou estágio.

Crie um projeto e divulgue-o na Internet

Se não possui estágio ou emprego para para desenvolver, comece a reproduzir os próprios projetos.

Busque uma ideia que seja razoavelmente complexa de se resolver e a implemente o projeto. Você poderá fazer um portfólio para mostrar para recrutadores.

Caso você não possua alguma ideia, desenvolva um site com painel administrativo. Desta forma, você conseguirá ter um ótimo aprendizado e também conseguir fazer uma boa apresentação do seu projeto.

5 dicas de como reformar sua casa gastando pouco

Quando percebemos a necessidade de uma reforma, ou queremos mudar alguma coisa em casa, logo já vem à cabeça todos os gastos envolvidos.

Isso faz muitas pessoas desistirem, até porque toda reforma tem um custo. Mas, é possível sim, investir em uma nova roupagem para a sua casa, gastando pouco.

Por isso, se você tem vontade de mudar o visual da casa, mas está preocupado com o preço da reforma, esse post é para você!

Abaixo, confira 5 dicas de como reformar a sua casa gastando pouco.

1 – Use o mesmo material em vários cômodos da casa

Uma maneira de economizar com a sua reforma é comprar o mesmo material para toda a casa (ou pelo menos, para grande parte dela).

Por exemplo, se você deseja ter um ambiente mais aconchegante e acolhedor, com revestimentos em madeira, o preço dos tacos pode sair bem mais em conta, ao optar pela aquisição de mais peças.

Daí é só adquirir outros recursos de instalação, como grampeador para madeira, que pode ser essencial na hora de confeccionar um outro artigo, com o material excedente.

A mesma ideia pode ser aplicada para revestimentos em parede, inclusive as tintas. 

Normalmente, os galões de 18 litros de tinta têm um custo-benefício muito melhor, em comparação com as latas de 3,6 litros, ou até menores.

Além disso, importante destacar que ambientes pequenos, como apartamentos, dão a impressão de serem mais amplos, quando a mesma cobertura é aplicada em todos os cômodos.

Porém, no caso de tintas, vale a pena investir nas cores neutras, como branco, areia e gelo, já que nem todos os cômodos ficam bons com cores muito chamativas ou escuras.

Ademais, certas áreas da casa realmente não comportam os mesmos revestimentos, como a lavanderia e o banheiro, por exemplo.

Afinal, são ambientes que precisam de mais proteção, especialmente em relação a impermeabilidade.

Por conta disso, verifique quais são os espaços que podem compartilhar o mesmo material.

2 – Construa os seus próprios artigos de decoração

O DIY (Do It Yourself, ou em tradução, “faça você mesmo”) tornou-se uma tendência nos últimos tempos, especialmente para a decoração de casas.

Isso porque além de gastar pouco, quando fazemos nossos próprios artigos decorativos, conseguimos deixar a casa com a nossa cara, colocando a nossa personalidade naquilo que estamos fazendo.

Assim, você mesmo pode criar um revestimento para parede usando uma película antivandalismo para carros, vinis antigos, pôsteres, entre outros objetos que seriam descartáveis.

O DIY também é uma maneira de contribuir com o meio ambiente e reduzir o descarte de materiais. Ou seja, mais do que decorar, você também está contribuindo com o meio ambiente e com a sustentabilidade.

O importante é usar e abusar da criatividade!

3 – Use vasos com plantas na decoração

Os vasinhos de plantas sempre foram os queridinhos da decoração. Mas, muita gente acaba se esquecendo do quanto eles contribuem para alegar e melhorar o ambiente, e o melhor: são bem baratinhos.

Você pode optar pela decoração com:

  • Plantas suculentas;
  • Vasos com flores;
  • Samambaias penduradas;
  • Pequenos ecossistemas.

Vale dizer que as flores e as folhagens têm poder de preencher os espaços da casa, renovar as energias e melhorar a climatização do ambiente.

Além disso, você pode usar os vasos para tapar algumas imperfeições, ou até mesmo itens que você deseja “esconder” das vistas, como uma tomada 20 amperes, fios e buracos na parede.

4 – Personalize os artigos de segurança

Dá para aliar beleza e segurança na decoração da sua casa. Por exemplo, você pode colocar enfeites na tela de proteção para gatos da janela, enfeitando o ambiente, sem abrir mão da tranquilidade.

Importante destacar que, não só as telas de proteção, mas alguns outros artigos de segurança, como tapetes antiderrapantes, vedadores, tampas de quinas, entre outros, também podem ser decorados.

Assim, como os artigos DIY, o segredo é usar a criatividade para confeccionar uma decoração personalizada e bonita.

5 – Contrate uma mão de obra de confiança

Mas, se a sua casa está precisando mesmo é de uma reforma estrutural, sem condições de fugir de uma obra, a melhor forma de economizar é contratando profissionais de confiança.

Afinal, você terá segurança de que o serviço está sendo bem feito e, ao mesmo tempo, a cobrança é justa.


Fora que, os profissionais de qualidade não costumam enrolar com os prazos de entrega, cumprindo com assertividade o cronograma de obras.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como Inbound Marketing pode alavancar seu negócio

Longe das propagandas tradicionais que costumamos ver por aí, o Inbound Marketing é uma estratégia que busca cativar o público, oferecendo não uma oferta ou promoção, mas sim, conteúdo de qualidade.

Hoje em dia a informação tornou-se uma moeda de trocas extremamente valiosa, ainda mais em tempos de internet. 

As pessoas querem saber mais sobre os assuntos e, por conta disso, milhões de pesquisas são feitas todos os dias.

Diante disso, já estava na hora das empresas modificarem as suas estratégias de divulgação, levando em conta o novo comportamento dos consumidores. Daí surge o Inbound Marketing.

No post de hoje, vamos falar mais sobre essa estratégia e como você pode usá-la para alavancar seu negócio. 

Continue nos acompanhando!

O que é esse tal de Inbound Marketing?

Também conhecido como “marketing de atração”, o Inbound teve origem em 2009, nos Estados Unidos, com a publicação do livro “Seja encontrado usando o Google, a mídia social e os blogs”, por Brian Halligan e Dharmesh Shah.

Os autores enfatizaram que é possível atrair os clientes por meio de conteúdo relevante, sem interrompê-los, especialmente quando estão navegando na internet.

Na prática, isso significa que ao invés de uma propaganda invasiva sobre um determinado produto, como tacógrafo eletrônico, o Inbound Marketing produzirá um material informativo acerca do equipamento, ressaltando suas características e modos de uso.

Ou seja, o foco não está diretamente ligado às vendas, mas sim, para a conscientização de negócios na internet. 

Desse modo, a fidelização e a captação dos clientes são melhores, enquanto as vendas tornam-se uma consequência.

A estratégia é altamente eficaz, visto que 60% dos clientes afirmam ter uma visão mais positiva sobre a marca, após consumir o conteúdo, segundo pesquisas.

Além do mais, o Inbound Marketing consegue compartilhar informações interessantes a respeito de um produto ou serviço que, em muitos casos, o público nem ao menos conhecia ou sabia que tinha necessidade daquilo.

Por exemplo, ao explicar o que é o jateamento abrasivo, a empresa pode criar um interesse da audiência, especialmente de quem precisa limpar superfícies, mas não fazia ideia do que era o processo de jateamento.

O Inbound Marketing também apresenta muitos outros pontos positivos, entre os quais:

  • Preço de investimento mais barato do que o marketing tradicional;
  • ROI (Retorno sobre Investimento) altamente positivo;
  • Maior atração de visitantes para os websites da empresa;
  • Maior número de conversão de leads (potenciais clientes).

Não é à toa que as empresas estão cada vez mais interessadas no Inbound Marketing. 

Só no Brasil, cerca de 70% dos empreendimentos utilizam a estratégia e esse número só tende a crescer.

Mas, como eu posso aplicar o Inbound Marketing no meu negócio?

Há maneiras muito simples e eficazes para usar o Inbound Marketing na sua empresa. Por isso, se você ainda não aplicou a estratégia no seu negócio, não se desespere.

Abaixo, separamos algumas técnicas que podem te ajudar a produzir materiais com o uso do Inbound Marketing e ter ótimos resultados.

1 – Publicação de artigos em blogs

Os blogs são os grandes aliados na produção e compartilhamento de conteúdo relevante. 

Aliás, eles são as ferramentas mais usadas na estratégia de Inbound e do Marketing de Conteúdo.

De forma resumida, você pode criar artigos sobre seus produtos ou serviços e publicá-los diretamente no blog da empresa. 

Assim, caso você queira falar sobre a instalação de uma rosca transportadora helicoidal, basta escrever um texto interessante ao seu público.

Pesquisas na área de marketing digital apontam que as organizações que usam os blogs conseguem aumentar em 97% o número de visitantes para o website corporativo. 

Por isso, ter um blog é quase que uma prioridade para o Inbound Marketing.

2 – Aplicação do SEO

O SEO (Search Engine Optimization) faz parte de um conjunto de técnicas que ajudam o seu site ou blog a aparecer entre os primeiros resultados de busca no Google, ou em demais buscadores.

A otimização pode ser feita em conjunto com a produção de artigos para o blog, pois uma das características básicas do SEO é o uso de palavras-chave ao longo dos textos, com os termos mais procurados pelos usuários.

Assim, ao tratar de decalque do chassi, por exemplo, você pode usar as palavras-chave mais buscadas e melhorar o ranqueamento da sua página.

Vale dizer que o Google, assim como os outros buscadores, também leva em conta a relevância do conteúdo. 

Por isso, não deixe de produzir algo de qualidade, para que os leitores se sintam atraídos e contemplados com as suas informações.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Onde Encontrar Tradutor Juramentado Italiano?

tradutor juramentado italiano
tradutor juramentado italiano
tradutor juramentado italiano

No processo de requerimento da cidadania italiana, um passo muito importante é encontrar um tradutor juramentado italiano.

Esse profissional é de suma importância para quem quer tirar a dupla cidadania, visto que ele irá fazer a tradução dos seus documentos de forma oficial.

Aliás, esse é um ponto importante, pois é preciso que você saiba, primeiramente, o que é a tradução juramentada e depois conheça o responsável por realiza-las.

Quer saber tudo referente a esse importante assunto no processo para tirar sua cidadania italiana?

Então não deixe de acompanhar esse artigo até o final!

Tradutor juramentado italiano: Onde é possível encontrar um?

O que é tradução juramentada?

Para traduzir documentos para o processo de pedido de cidadania, seja qual for ela, é muito importante realizar a tradução juramentada dos mesmos.

E qual é a diferença desse tipo de tradução para a tradução normal?

A resposta é simples, na tradução normal ou simples, como a que se faz de um artigo, texto ou livro, não há autenticidade comprovada oficialmente na mesma.

Assim, para que ocorra a tradução de documentos para outro idioma, a mesma precisa ser autenticada comprovadamente.

Isso porque é preciso que haja uma garantia de aquilo que está sendo traduzido está realmente correto e é verdadeiro, ou seja, que a tradução de um idioma para outro não teve alterações.

Para que os documentos possam ter esse atestado de autenticidade ou de fidelidade, portanto, é preciso que os mesmos sejam traduzidos por um tradutor oficial.

Esse tradutor é chamado de tradutor juramentado, que é aquele que é aprovado em um concurso público e está apto, portanto, para realizar o processo de forma oficial.

Assim, o próximo passo de saber onde encontrar um tradutor juramentado italiano é, justamente, saber exatamente o que é esse profissional.

O que é um tradutor juramentado?

O tradutor juramentado trata-se daquele profissional que é responsável por realizar as traduções juramentadas, que são traduções oficiais.

Essas traduções são as únicas aceitas para documentos oficiais em processos de cidadania, por exemplo, pois atestam a autenticidade as informações que foram vertidas de um idioma para outro.

Para tornar-se um tradutor juramentado italiano, ou em qualquer outro idioma, é preciso, primeiramente, ser aprovado em um concurso público. O último, no entanto, foi realizado no ano de 2000. Não há previsão para abertura de novo edital.

Esses tradutores devem dominar o idioma estrangeiro em que pretendem especializar-se, e prestar, então, o concurso realizado pelas Juntas Comerciais.

Após serem aprovados, os mesmos precisam estar registrados/cadastrados em uma junta referente ao estado em que reside.

Apenas depois dessas etapas é que o profissional estará, oficialmente, apto para exercer a tradução juramentada.

Onde encontrar tradução juramentada em Santos?

Se você está pensando em requerer sua dupla cidadania italiana e está em buscar de um local para realizar tradução juramentada em Santos, a 4DOC é o local perfeito.

Você poderá encontrar um tradutor juramentado italiano, devidamente cadastrado e registrado na Junta Comercial regional, para fazer a tradução oficial dos seus documentos.

E quais são os documentos que o tradutor concursado deverá traduzir para o italiano para o processo de cidadania?

Esses documentos são:

  • Ficha de cadastro de requerimento (do requerente)
  • Árvore genealógica (do requerente)
  • RG (identidade), CPF, Título de Eleitor, cópia e original de todos (do requerente)
  • Comprovante de residência, que deve ter no máximo 6 meses (do requerente)
  • Certidão de registro civil em inteiro teor, que esteja apostilada, em uma segunda via original, que seja recente e que esteja em bom estado de conservação (do requerente)
  • Certidão de casamento e certidão de óbito, se for o caso (do parente italiano)
  • Certidão de naturalização, caso haja (do parente italiano)
  • Certidão negativa de naturalização, se for o caso (do parente italiano)
  • Certidão de Nascimento ou de Batismo emitido pela Comune Competente ou pela Paróquia local da Comune

Desse modo, todos esses documentos precisam passar pelas mãos do tradutor juramentado italiano e serem validados pela tradução do profissional oficial.

Qual é o preço da tradução juramentada?

Agora que você já conheceu mais sobre o que é a tradução juramentada e o que é o tradutor concursado (no caso, o tradutor juramentado italiano), é hora de saber qual o preço de uma tradução oficial.

A primeira coisa a saber sobre preço tradução juramentada é que o mesmo varia de acordo com alguns fatores, ou seja, em cada tipo de pedido de cidadania pode haver um preço diferente.

Isso porque o primeiro fator a levar em consideração é sobre o número de páginas que será preciso ser traduzido.

Além disso, também conta o tipo de documento que o tradutor juramentado italiano irá realizar a tradução.

Fora isso, os preços também variam de acordo com cada estado, portanto, é preciso verificar os mesmos na Junta Comercial do estado.

De um modo geral, o valor de uma lauda traduzida fica sempre entre R$ 40,00 e R$ 60,00, ou seja, leve essa como uma média aproximada de quanto irá pagar no total.

Conclusão

Como você viu, para traduzir os documentos de forma oficial para o pedido de cidadania italiana, por meio de uma tradução juramentada, é necessário o trabalho de um tradutor juramentado italiano.

Neste texto, você pôde conhecer mais sobre o que é a tradução juramentada e o que é um tradutor juramentado, assim como também onde encontrar um profissional concursado em Santos.

Gostou do artigo de hoje sobre onde encontrar tradutor juramentado italiano?

Se você ficou com alguma dúvida sobre esse assunto, escreva-a abaixo nos comentários para que eu possa ajudá-lo.

Os conceitos de varejo mais inovadores já estão sendo testados agora

O negócio de vender produtos em lojas de varejo está enfrentando muitos desafios. Um dos mais fundamentais é: o que deve ser uma loja de varejo? Isso costumava ser simples – as lojas têm coisas e querem vendê-las. Agora, as mudanças tecnológicas e culturais nos fizeram questionar como isso deveria ser feito. As lojas precisam repensar a melhor maneira de atender os clientes e quais funções uma loja deve atender.

Para que você não pense que as lojas estão indo embora, lembre-se de que ninguém criou um modo mais eficaz para converter navegadores em clientes e criar lealdade à marca do que lojas físicas. Então não, as lojas não estão desaparecendo. Mas eles vão mudar e agora ninguém sabe exatamente como. Vamos ver mais novas idéias, mais experimentação, mais adaptação de conceitos do que nunca.

Por enquanto, as marcas precisam se perguntar:

  • Preciso de lojas físicas próprias ou posso vender meus produtos na loja de outra pessoa?
  • Se eu precisar de minhas próprias lojas, qual o tamanho delas? Na recente conferência de Etail East , Jared Blank, da Bluecore , disse: “O gênio da Bonobos era que as lojas não precisam ter 5.000 pés quadrados em um shopping, elas podem ter 1.000 pés quadrados”. Blank se referia à marca masculina que permite experimentar roupas na loja, mas não possui estoque para vender; tudo o que você compra é enviado a você do armazém após a compra.
  • Quanto estoque uma loja deve ter e como isso deve ser equilibrado com o estoque on-line, de maneira apropriada para cada produto e marca?
  • A manutenção de estoque em uma loja pode ser justificada quando o custo do espaço para exibição e armazenamento é tão alto e existe o risco de que se torne obsoleto?
  • O que mais deveria estar acontecendo nas lojas além de vender coisas?

As respostas a essas perguntas serão diferentes para diferentes tipos de produtos, pneus não são jóias. As respostas que os varejistas encontrarão determinarão seu sucesso ou fracasso. Sua capacidade de experimentar coisas novas criará todos os novos tipos de lojas que ninguém jamais viu antes. Esse é um grande desafio para os varejistas, mas para os consumidores é divertido e interessante vê-lo evoluir.

Recentemente, conversei com várias empresas cujos serviços e funções complementam, competem e desafiam o que as lojas sempre fizeram. Todos eles são inovadores e interessantes e para onde vai agora dependerá, em última instância, dos consumidores.

Relógios de parede o item que valoriza a decoração

Mesmo fora de moda por um tempo, o relógio de parede ainda é um dos itens mais usados na decoração. O relógio de parede enfrenta inúmeros dilemas, ao ser usado na hora de decorar um ambiente.

Para que você acerte e use o relógio como um acessório que valoriza a sua decoração o primeiro passo é entender que muitas vezes o relógio, está ali como um objeto de funcionalidade, assim será mais fácil combiná-lo com suas decorações.

Atualmente os relógios de parede estão ganhando diversas variações muito interessantes e que podem ser usadas em qualquer ambiente da sua casa. Porém, o seu maior destaque continua sendo para o relógio de cozinha.

O relógio de parede dá um toque de elegância e sofisticação ao seu ambiente. Dessa forma, para escolhê-lo é preciso atenção, pois ele deve combinar com a decoração do cômodo.

Assim se você está sentindo que falta de algo em seu ambiente o relógio de parede pode ser a peça que falta para valorizar a sua decoração. Leia este texto até o seu final e saiba como o relógio valoriza a sua decoração.

Como decorar sua casa usando relógios

Todos sabemos que a partir do momento que a decoração combina entre si na sua casa, isso pode deixá-la muito mais bonita e agradável. Isso pode acontecer tanto pela escolha de móveis, texturas e cores. Todos esses itens combinados deixam o seu ambiente com o seu estilo.

Dessa forma, o relógio de parede é uma ótima opção, com tantos modelos, estilos e cores fica praticamente impossível errar na sua escolha. Agora conheça quais são os itens mais importantes para considerar ao escolher seu relógio de parede:

Tema da decoração

O relógio de parede precisa combinar com o estilo de decoração escolhido por você. Seguindo esse raciocínio se você optar por uma decoração no estilo clássico, por exemplo, o relógio de parede deve manter o padrão, com detalhes que ressaltam o estilo de sua escolha. Já se o estilo escolhido for o moderno, invista em peças mais atuais… E assim por diante.

Dimensões do seu relógio

Outro ponto importante é definir o tamanho do seu relógio de parede. Se você possui quadros ou porta-retratos em sua parede, uma opção interessante é escolher uma peça mais chamativa para que ela se destaque entre as demais.

Agora se sua parede for exclusivamente para o relógio teste escolher um modelo maior, porém isso não significa que escolher um relógio menor não fique bonito. O critério mais importante na hora de escolher o tamanho do seu relógio e ter bom senso e aquele que se encaixe melhor ao seu ambiente.

Definindo espaços

Os relógios de parede põem ser usado em todos os cômodos da sua casa, no entanto, é preciso atenção para que ele fique bom no espaço que você escolher. Relógios de parede com temas de comida, por exemplo, ficarão muito melhores na cozinha do que no quarto ou na sala, por exemplo. Como já vimos o essencial é ter bom senso.

Modelos de relógio de parede

Os principais modelos de relógios de parede são os modernos, convencionais, redondos, ovais, quadrados, os carrilhões e o modelo cuco. Esses primeiros modelos podem ser encontrados em plástico, madeira, acrílico, entre outros. São os modelos mais escolhidos para quem gosta de itens coloridos.

Já para os modelos, carrilhão, eles são feitos geralmente de madeira e funcionam com o uso de um pêndulo, esse pêndulo movimenta as engrenagens presentes no interior do relógio carrilhão.

Já os modelos, cuco, são feitos em madeira e possui características exclusivas e cada um deles. Ele também funciona com um pêndulo e tem esse nome devido ao passarinho cuco, esse relógio pode ser programado para tocar na hora escolhida.

Onde usar cada um

Conhecido por seu relógio extremamente clássico e chique, o relógio carrilhão é uma excelente escolha para ocupar a sua sala de estar, principalmente se seu objetivo for trazer um ambiente tradicional. Além disso, ele é um item que combina com móveis e sofás rústicos.

Como o relógio cuco possui um toque tradicional, ele chama muito a atenção e atrai olhares de todos. Uma boa ideia é colocá-lo como um objeto de decoração sofisticado e requintado. Assim procure equilibrar o restante dos objetos da sua decoração, para que ele não se perca no ambiente.

Os modelos convencionais tem uma variedade maior de usos. Os relógios coloridos, são usados como opção para deixar o seu ambiente mais alegre e descolado. Eles podem ser usados na cozinha, salas e quartos, por exemplo. Enquanto os relógios com cores neutras são boas opções para escritórios, consultórios e ambientes mais sóbrios.

Portanto, como vimos os relógios de parede podem ser uma excelente opção para valorizar a decoração do seu ambiente. Eles são versáteis e úteis e podem combinar com qualquer ambiente. Ele serve como um detalhe para sua decoração, mas também podem ser usados como a peça de destaque em um ambiente.

Antes de comprar qualquer relógio de parede para a sua casa faça uma pesquisa antes, veja diferentes modelos, analise cada um deles e por fim escolha aquele que combine perfeitamente com o ambiente da sua casa. Se você gostou deste conteúdo sobre como os relógios de parede valorizam a sua decoração deixe o seu comentário e me conte como ele te ajudou.