Forte crescimento nas vendas de carnes para a Rússia em setembro

Após barrar as importações de alimentos dos Estados Unidos e da União Europeia em decorrência do conflito geopolítico na Ucrânia e habilitar mais de 90 estabelecimentos exportadores de carnes do Brasil, a Rússia de fato acelerou as compras de produtos brasileiros em setembro. No total, a receita obtida pelos frigoríficos do país com as vendas de carnes bovina, suína e de frango ao mercado russo somou US$ 293 milhões no mês passado, 70% a mais que em setembro de 2013.

Indústria brasileira de carnes participa da maior feira de alimentação da Rússia

A indústria brasileira exportadora de carnes marca presença a partir desta segunda, dia 15, na maior feira de alimentação da Rússia tentando assegurar o espaço conquistado para o produto nacional após as barreiras impostas aos países da União Europeia, Estados Unidos e Austrália. No último mês, a Rússia foi o principal importador das carnes bovina e suína produzidas no Brasil e a expectativa é de um crescimento nos volumes embarcados para o país a partir de setembro. A relação comercial com os russos, no entanto, ainda é considerada instável e o setor quer aproveitar o bom momento para fidelizar contratos.

Veja todas as notícias na mídia »»

Artigos

Proteína animal e desenvolvimento das cidades

Do ponto de vista da receita, as carnes de aves e suína aportam uma das maiores contribuições para a balança comercial (cerca de US$ 10 bilhões).Outro grande benefício da avicultura e suinocultura para os estados do Sul é o desenvolvimento das cidades. É o que mostra o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), que leva em consideração indicadores de educação, saúde, emprego e renda. Quando o IFDM se aproxima de “1”, o desenvolvimento atinge o seu nível mais alto.

Cenários que podem nortear as discussões no SIAVS 2015

A suinocultura mundial vive sob o impacto de duas ocorrências sanitárias que têm afetado a produção e a comercialização de carne suína, principalmente na Europa e nos Estados Unidos: a diarreia suína epidêmica (PED) e a peste suína africana. Como quarto maior produtor e exportador, o Brasil tem sentido os efeitos desses dois eventos na elevação do faturamento de suas exportações e no preço médio. Em junho, as exportações de carne suína aumentaram 8,21% em volume (43,96 mil toneladas) e 69,81% em valor (US$ 167,25 milhões) em relação a junho de 2013. Veja todos os artigos »»

Notas à Imprensa

Rússia respondeu por quase 40% das exportações de carne suína em setembro

Como era previsto, a Rússia vem aumentando mensalmente as suas importações de carne suína brasileira. Em setembro, respondeu por 39,60% das exportações do País. O crescimento dos embarques é reflexo da estratégia de Moscou de substituir as importações dos EUA e da Europa por produtos de outros países, principalmente o Brasil, no contexto da crise ucraniana.


Carne Suína: Rússia e Hong Kong sustentaram crescimento das exportações em agosto

Rússia e Hong Kong, que tiveram participação de 34,40% e 23,12%, respectivamente, nas exportações de carne suína, em agosto, foram os mercados que registraram maior crescimento dos embarques brasileiros do produto. O Brasil vendeu para a Rússia 14.503 toneladas, 16,20% mais do que em agosto de 2013. Em receita, o valor foi de US$ 70,69 milhões, um aumento de 82,53% na comparação com igual período de 2013. Para Hong Kong, os embarques somaram 9.749 t, 9,65% mais em relação a agosto do ano passado, e US$ 25,20 milhões, resultado 22,74% superior ao de 2013. Veja todas as notas à imprensa »»

Estatísticas

17/09/2014

Os números das exportações brasileiras de carne suína em 2014

Confira na tabela os volumes acumulados (em tonelada e valor) até o mês de agosto de 2014 (baixe o arquivo em PDF).

17/09/2014

Os principais destinos da carne suína brasileira

Veja nesta tabela quais são os países para os quais o Brasil exporta carne suína (dados acumulados de 2014).

 

Documentos Técnicos

Palestra da ABIPECS no Senado Federal (~3528kb)

Para visualizar todos, clique aqui.
 

Acesso a Mercados

30/09/2009

Aumentando a transparência das medidas sanitárias e fitossanitárias

Apresentação em inglês do presidente da ABIPECS no WTO PUBLIC FORUM 2009 - “Global problems, Global Solutions: Toward Better Global Governance”

30/04/2009

Restrições internacionais à carne suína

A carne suína enfrenta barreiras comerciais em países islâmicos por motivos religiosos, como na Malásia, no Marrocos, no Egito, na Argélia, na Arábia Saudita e no Irã. Mesmo assim, alguns importam pequenas quantidades para atender à população não islâmica.

 

Eventos

Carne Suína Brasileira

Vídeo institucional

Mais sobre Carne Suína

Carne Suína Abipecs no Twitter

Gráficos

Consumo interno e exportação de carne suína.
Clique no gráfico para ver essas e outras informações em nosso relatório anual.

Relatório Anual 2011

 
ABPA - Associação Brasileira de Proteína Animal